Publicidade

Estado de Minas DUBLIN

Ciberataque paralisa sistema de saúde da Irlanda


14/05/2021 12:51 - atualizado 14/05/2021 12:55

O serviço público de saúde da Irlanda, o HSE Ireland, anunciou nesta sexta-feira (14) que foi obrigado a paralisar seu sistema, devido a um ciberataque com um "ransomware", um programa de roubo de dados.

"Aconteceu um ataque importante de ransomware contra os sistemas de informática do HSE", anunciou o organismo no Twitter.

As autoridades atribuíram o ataque a criminosos internacionais e garantiram que a segurança dos pacientes não está em perigo.

"Por precaução, decidimos suspender todos os nossos sistemas para protegê-los deste ataque e para avaliar a situação de maneira detalhada", afirmou o HSE Ireland.

O ciberataque contra o HSE utilizou um software malicioso semelhante ao que atacou a Colonial Pipeline, operadora de um enorme oleoduto nos Estados Unidos que reiniciou todo seu sistema na quinta-feira à noite (13) depois de ter sido paralisado no último fim de semana. O ataque foi executado pelo grupo criminoso DarkSide, informou o FBI, a Polícia Federal americana.

A saúde pública irlandesa enfrenta "um problema bastante grave", afirmou o diretor-geral do HSE, Paul Reid, ao canal estatal RTE.

"Tomamos a medida de precaução de apagar muitos de nossos sistemas-chave para protegê-los", reiterou.

Ele explicou que o ataque foi concentrado no acesso aos dados armazenados nos servidores centrais.

O HSE pediu desculpas pelos problemas provocados a seus pacientes e afirmou que a vacinação não será afetada, "seguindo adiante como estava previsto".

A vacinação contra a covid-19 está aberta para pessoas com mais de 50 anos na Irlanda, onde a doença matou 4.937 pessoas, segundo os dados oficiais.

No entanto, o sistema usado para reservar testes de coronavírus parou de funcionar. Pessoas com sintomas ou casos de contato terão "prioridade para serem analisadas em um centro de atendimento" sem consulta prévia, disse o HSE.

Se o problema "continuar até segunda-feira, nos encontraremos em uma situação muito séria e teremos que cancelar muitos serviços", disse Anne O'Connor, diretora de operações do HSE.

O serviço de ambulâncias também está "operando com normalidade, sem impacto no gerenciamento de chamadas e de emergência em todo país", acrescentou o HSE.

A maternidade Rotunda de Dublin anunciou o cancelamento de todas as consultas, com exceção para as mulheres grávidas de 36 semanas, ou mais.

Fergal Malone, diretor da unidade, explicou que o "problema envolve os computadores que se conectam aos históricos eletrônicos de saúde".

Os Estados Unidos também sofreram uma recente onda de ataques cibernéticos, incluindo um contra o sistema de oleodutos na semana passada e uma grande ação de hackers contra a empresa de software SolarWinds.

Neste contexto, o ministro britânico das Relações Exteriores, Dominic Raab, pediu na quarta-feira a formação de uma coalizão internacional para fortalecer a segurança cibernética contra agentes estatais e contra criminosos que buscam subverter as normas democráticas.

"Estes atores são os vândalos em escala industrial do século XXI. Querem minar as bases de nossa democracia", afirmou em uma conferência virtual organizada pelo Centro Nacional de Cibersegurança (NCSC) britânico, depois de criticar países como Rússia, China, Irã e Coreia do Norte.

"Quando Estados, como a Rússia, têm criminosos e grupos que operam de seu território, os países têm a responsabilidade de perseguir estes grupos, não de apoiá-los", afirmou Raab.

"Utilizamos nossas capacidades, porque são necessárias para defender nossos cidadãos e salvaguardar a colaboração internacional. Nossos adversários utilizam seu poder para roubar, sabotar e saquear o sistema internacional", completou.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade