Publicidade

Estado de Minas CABUL

Talibãs assumem controle de distrito perto da capital afegã


12/05/2021 11:18 - atualizado 12/05/2021 11:19

Os talibãs tomaram um distrito controlado pelo governo afegão a 40 quilômetros da capital do país, Cabul, às vésperas da entrada em vigor de um cessar-fogo - anunciou um porta-voz do Executivo nesta quarta-feira (12).

O distrito de Nerkh na província de Wardak, a sudoeste de Cabul, há muito tempo é usado como ponto de acesso à capital, ou como base para lançar ataques.

"As forças de segurança e defesa realizaram uma retirada tática da sede da polícia local do distrito de Nerkh", disse o porta-voz do Ministério do Interior, Tareq Arian, à AFP.

O porta-voz dos talibãs, Zabihullah Mujahid, afirmou que o movimento insurgente controla a área desde terça-feira (11) e que domina a sede da polícia e uma base militar.

O Ministério afegão da Defesa anunciou nesta quarta-feira que planeja lançar uma ofensiva para reconquistar o distrito, onde vivem mais de 60.000 pessoas.

"Os reforços estão a caminho", garantiu seu porta-voz, Fawad Aman.

Amplos territórios da província de Wardak e da vizinha Logar, estratégicos para entrar em Cabul, são controlados, ou estão em disputa há anos, por parte dos talibãs.

- Intensos combates -

A principal estrada que liga Cabul ao antigo bastião insurgente da província de Kandahar, no sul, foi palco de intensos combates nas últimas semanas.

Os combatentes talibãs cercam cada vez mais os grandes centros urbanos, levando a especulações de que aguardam a retirada das tropas americanas do Afeganistão para lançar grandes ofensivas contra as cidades do país.

A tomada do distrito acontece antes da entrada em vigor de um cessar-fogo de três dias pela Aid al Fitr, a festa muçulmana que marca o fim do Ramadã. Essa trégua foi acertada pelos talibãs e pelo governo afegão.

Nos anos anteriores, o cessar-fogo foi respeitado em larga medida. Trata-se, para os dirigentes talibãs, de demonstrar que controlam as múltiplas facções.

O Afeganistão vive um recrudescimento da violência desde 1º de maio, data em que os Estados Unidos deveriam, em tese, ter retirado seus 2.500 soldados ainda estacionados no território.

Na província de Helmand (sul), houve intensos combates que obrigaram milhares de habitantes a fugir. O Exército americano enviou reforços para apoiar as forças afegãs.

Em 8 de maio, mais de 50 pessoas morreram, e cerca de 100 ficaram feridas em um bairro xiita hazara, no oeste da capital, após uma série de bombas que explodiram na saída de uma escola para meninas. Foi o ataque mais letal em um ano.

Na segunda-feira, pelo menos 11 pessoas morreram pela explosão de uma bomba na passagem de um ônibus na província de Zabul (sul).

Ontem, o Exército americano anunciou que havia avançado entre 6% e 12% em sua retirada do Afeganistão. A saída total será até 11 de setembro.

Por outro lado, o ministério da Defesa afegão informou nesta quarta-feira que assumiu o controle de Camp Morehead, uma base americana em Cabul onde as tropas americanas estavam treinando o exército afegão.

A base agora será usada pelas forças especiais afegãs.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade