Publicidade

Estado de Minas WASHINGTON

Norte-americanos temem escassez de gasolina após ciberataque a rede de oleodutos


11/05/2021 19:32 - atualizado 11/05/2021 19:38

O ataque cibernético a uma grande rede de oleodutos nos Estados Unidos provocou temores de uma escassez de gasolina, levando a compras exageradas e à suspensão temporária pelo governo das regras antipoluição em três estados e na capital do país a fim de garantir o abastecimento.

Centenas de postos de gasolina no sudeste do país relataram ter ficado sem combustível enquanto os clientes faziam fila para encher seus tanques, disseram analistas.

Um ataque de 'ransomware' à Colonial Pipeline na sexta-feira forçou a empresa a fechar toda a sua rede, mas funcionários do governo de Joe Biden pediram calma e afirmaram que a situação é temporária.

A empresa, que transporta cerca de 45% dos combustíveis consumidos na costa leste do país, indicou que pretende restaurar a maior parte de suas atividades até o fim de semana.

Na Casa Branca, a secretária de Energia, Jennifer Granholm, afirmou que algumas áreas "podem sentir uma escassez de abastecimento até que o serviço da Colonial seja totalmente retomado."

No entanto, "não deve haver razão para acumular gasolina, especialmente considerando o fato de que o gasoduto deve estar substancialmente operacional no final desta semana e no fim de semana", declarou a repórteres.

Contudo, 8,5% dos postos de gasolina na Carolina do Norte, 7,7% na Virgínia, 5,8% na Geórgia e 2,8% na Flórida estavam sem combustível na tarde desta terça-feira, segundo Patrick De Haan, analista do site especializado GasBuddy.

o preço médio no país do galão de gasolina (3,79 litros) está em 2,97 dólares, "seu nível mais alto desde 2018", disse a GasBuddy, lembrando que o custo de um tanque cheio subiu fortemente desde o início do ano.

- "Sem gasolina antes do sol se pôr" -

"Vamos ficar sem gasolina antes de o sol se pôr se isso continuar", disse à AFP um gerente de um posto de gasolina em Raleigh, na Carolina do Norte.

"Todo mundo está assistindo ao noticiário, sabe, eles surtam, depois saem correndo e compram gasolina. Eles estão enchendo latas e tudo mais."

Alguns temem que a interrupção da Colonial Pipeline provoque um aumento dos preços da gasolina um pouco antes do feriado do Memorial Day em 31 de maio, o início não oficial da temporada de viagens de verão.

Para aliviar a situação, o governo de Joe Biden já concedeu, a partir de domingo, maior flexibilidade para o transporte rodoviário de produtos refinados.

Além disso, nesta terça-feira, a Agência de Proteção Ambiental (EPA) concedeu "uma isenção temporária para garantir que haja um abastecimento adequado de gasolina disponível nas áreas afetadas até que possa ser restaurado o abastecimento normal para a região."

A medida da EPA suspende as regras de ar limpo que exigem que as áreas urbanas usem combustível com aditivos que tornam a gasolina menos poluente, mas também mais cara.

A isenção "é necessária para tomar medidas para minimizar ou evitar a interrupção do fornecimento adequado de gasolina aos consumidores", explicou o administrador da agência, Michael Regan.

Essa dispensa permanecerá em vigor até 18 de maio e se refere à capital federal Washington, bem como aos estados de Maryland, Pensilvânia e Virgínia.

O Departamento de Transporte também avalia a suspensão de certas obrigações, no intuito de facilitar a entrega de petróleo por navio do Golfo do México, e a capacidade das empresas ferroviárias de transportar mais gasolina da costa para o interior do país.

- "Risco de alta" -

Os preços do petróleo subiram levemente nesta terça-feira, mas o mercado parece em geral tranquilizada pela promessa da retomada completa da operação da Colonial Pipeline.

O barril de Brent do Mar do Norte para entrega em julho fechou com cotação a US$ 68,55 em Londres, 0,34% ou 23 centavos a mais do que no fechamento de segunda-feira.

Em Nova York, o barril americano de WTI para junho aumentou 0,55%, ou 36 centavos, a US$ 65,28.

Essa fraca reação ao ataque cibernético é uma resposta de confiança ao fato de que "a Colonial afirmou que pretende restaurar as operações em alguns dias, o que deve limitar o impacto sobre os preços no curto prazo", explicou Robbie Fraser, da Schneider Electric.

"No entanto, permanece um risco de alta se esse cronograma for atrasado, o que provocaria um novo aumento nas importações americanas por mar da Europa e de outros mercados mundiais", alertou o especialista.

O FBI identificou o grupo DarkSide como responsável pelo "ransomware" usado no ataque, ou seja, um programa que realiza uma espécie de sequestro: se aproveita de falhas de segurança para criptografar sistemas digitais e exigir pagamentos em troca de desbloqueá-los.

A maior operadora de oleodutos de produtos refinados dos Estados Unidos envia gasolina e combustível de aviação da costa do Golfo do Texas para a populosa costa leste através de 8.850 quilômetros de dutos, que atendem 50 milhões de consumidores.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade