Publicidade

Estado de Minas WASHINGTON

EUA "sem dúvida" subestima mortes por covid-19, diz assessor da Casa Branca


09/05/2021 15:51

A covid-19, que oficialmente deixou 581.000 mortos desde o início de 2020 nos Estados Unidos, "sem dúvida" ceifou a vida de muito mais pessoas neste país, o mais afetado pela pandemia, estimou neste domingo (9) o consultor médico do Casa Branca, Anthony Fauci.

Quando questionado sobre um novo estudo publicado esta semana pela Universidade de Washington, que aponta mais de 900.000 mortes pelo coronavírus nos Estados Unidos, Fauci não corroborou esses dados.

Mas o imunologista reconheceu que as autoridades de saúde "disseram desde o início que uma subestimação" da mortalidade "era muito provável".

"Este modelo sugere um número significativo" de 900.000 mortes, "colocando a subestimação um pouco mais alta do que eu pensava", explicou Fauci à emissora NBC.

"Mas acho que sem dúvida (...) subestimamos e continuamos subestimando" a mortalidade da covid, frisou, apontando uma pandemia "histórica" para justificar a dificuldade de uma contagem precisa.

Os Estados Unidos, com mais de 32 milhões de casos e 581.000 mortes oficialmente registradas, é o país com o maior número de mortes em termos absolutos devido à pandemia.

Em relação à campanha de vacinação, Fauci destacou que 58% dos adultos nos Estados Unidos receberam pelo menos uma dose e mais de 110 milhões de pessoas (um terço da população total) estão totalmente vacinadas.

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, estabeleceu uma meta para 70% dos adultos receberem pelo menos uma dose antes do feriado nacional de 4 de julho, mas a campanha de vacinação está desacelerando à medida que tenta atingir os mais céticos ou indiferentes.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade