Publicidade

Estado de Minas OTTAWA

Canadá aprova uso de vacina da Pfizer-BioNTech a partir dos 12 anos


05/05/2021 14:18 - atualizado 05/05/2021 14:19

As autoridades canadenses aprovaram nesta quarta-feira (5) o uso da vacina Pfizer-BioNTech a partir dos 12 anos, tornando-se o primeiro país a autorizá-la para pessoas tão jovens.

"Esta é a primeira vacina autorizada no Canadá para a prevenção da covid-19 em crianças e simboliza um marco significativo na luta do Canadá contra a pandemia", disse a conselheira médica à frente do Health Canada, Supriya Sharma, em uma coletiva à imprensa.

Além disso, "somos os primeiros no mundo a licenciar a Pfizer para idades de 12 a 15", afirmou, acrescentando que a Grã-Bretanha e a União Europeia devem tomar a mesma decisão depois de analisar os mesmos resultados apresentados pela fabricante.

Os Estados Unidos devem autorizar a vacina Pfizer-BioNTech para uso em crianças de 12 a 15 anos na próxima semana.

Os dados de um ensaio clínico nos Estados Unidos envolvendo mais de 2.000 jovens que receberam duas doses mostraram que o imunizante é tão seguro para adolescentes quanto para adultos, acrescentou Sharma.

Não houve casos da covid-19 entre as crianças vacinadas. Em adultos, demonstrou ser ao menos 95% eficaz na prevenção de infecções.

A vacina foi autorizada em dezembro para uso em canadenses com 16 anos de idade ou mais.

Outros fabricantes das quatro vacinas autorizadas no Canadá (além da Pfizer-BioNTech, as outros são AstraZeneca, Johnson & Johnson e Moderna) estão conduzindo ou em preparo dos seus próprios testes em crianças de até seis meses de idade.

Sharma afirmou que a Health Canada agilizará as análises desses resultados.

Desde o início da pandemia, cerca de 20% de todos os casos da covid-19 no Canadá ocorreram em pessoas com menos de 19 anos.

Na quarta-feira, quase 1,25 milhão de pessoas foram diagnosticadas com o novo coronavírus neste país. Mais de 24.000 morreram.

Embora as pessoas mais jovens tenham menos probabilidade de ter quadros graves por causa da covid, "ter acesso a uma vacina segura e eficaz ajudará a controlar a disseminação da doença para familiares e amigos, alguns dos quais podem ter maior risco de complicações", explicou Sharma.

"Também contribuirá para o retorno a uma vida mais normal para nossos filhos, que passaram por momentos tão difíceis no ano passado", disse.

Sharma esclareceu que a recomendação das autoridades de saúde canadenses é que as pessoas recebam a vacina anticovie que lhes é oferecida primeiro, depois que um painel consultivo do governo gerou confusão esta semana ao classificar as vacinas de acordo com a segurança.

"Cada vacina tem suas vantagens e desvantagens. O objetivo é vacinar o maior número possível de pessoas o mais rápido possível", afirmou.

Casos raros de coágulos ocorreram entre as milhões de pessoas que receberam as vacinas AstraZeneca e Johnson & Johnson.

Esta semana, duas novas mortes foram relatadas nas províncias de Alberta e New Brunswick, elevando o número total de mortes por trombose no Canadá relacionadas à vacina AstraZeneca a três.

As autoridades canadenses disseram que o risco de morrer de covid-19 é significativamente maior do que a probabilidade de complicações fatais com a vacina.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade