Publicidade

Estado de Minas BERLIM

Alemanha levantará algumas restrições para pessoas vacinadas


04/05/2021 10:52

A Alemanha vai suspender algumas restrições para as pessoas que já foram vacinadas contra o coronavírus, como a obrigação de um teste negativo para entrar em lojas ou o limite de capacidade em reuniões privadas, informou nesta terça-feira (4) a ministra da Justiça.

"As pessoas que já foram vacinadas não vão precisar mais de um teste negativo se quiserem fazer compras, ir ao cabeleireiro ou visitar um jardim botânico, por exemplo", disse Christine Lambrecht em um comunicado.

Os vacinados também poderão "se reunir privadamente sem restrições" em número, acrescentou a ministra, referindo-se a um texto aprovado pelo governo nesta terça e que agora deve passar pelo Parlamento.

O toque de recolher noturno recentemente introduzido a partir das 22h00 também não será aplicado às pessoas que receberam as duas doses da vacina contra a covid-19.

A câmara baixa do Parlamento, o Bundestag, vai votar este texto na quinta-feira e o Bundesrat, a câmara alta, na sexta.

Em caso de adoção, essas flexibilidades poderão entrar em vigor a partir do próximo final de semana.

Até segunda-feira, mais de 6,7 milhões de pessoas já haviam recebido as duas doses e quase 24 milhões receberam uma dose, de acordo com o Instituto Robert Koch.

A Alemanha, duramente atingida por uma terceira onda da epidemia neste inverno (boreal), vem adotando há vários meses muitas restrições, desde o fechamento de bares, restaurantes, espaços culturais e esportivos, até o fechamento de lojas não essenciais. Além disso, limitao drasticamente as reuniões privadas e até mesmo introduziu um toque de recolher noturno.

Ao contrário de muitos países europeus, o governo alemão ainda não definiu um cronograma para a reabertura desses locais.

"Tivemos que restringir os direitos fundamentais durante a crise de saúde para proteger as vidas e a saúde pública. Foi extremamente doloroso para mim, na condição de ministra da Justiça", enfatizou Lambrecht.

"Sempre deixei claro que os direitos fundamentais deverão ser restaurados quando a sua restrição já não se justificar", acrescentou a ministra social-democrata.

"A queda nas taxas de infecção e o fato de que cada vez mais pessoas estão sendo vacinadas me dão confiança de que poderemos avançar rapidamente para outras fases de abertura", declarou, sublinhando, no entanto, que "a pandemia ainda não acabou".

Nesta terça-feira, a Alemanha contabilizava um total de 3.433.516 casos oficialmente declarados de covid-19 (+7.534 em 24 horas) e 83.591 mortes (+315).


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade