Publicidade

Estado de Minas GENEBRA

Chefe da OMS candidato à reeleição (imprensa)


03/05/2021 11:36

No centro da luta global contra a pandemia de covid-19, o diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), o etíope Tedros Adhanom Ghebreyesus, concorrerá à reeleição, informou o site de notícias Stat News.

Citando uma pessoa próxima ao líder, Stat News garante que o Dr. Tedros planeja concorrer a um segundo mandato de cinco anos à frente da OMS.

Questionado pela AFP, a OMS não respondeu.

O Dr. Tedros tornou-se em 2017 o primeiro africano a assumir a chefia desta poderosa agência da ONU, com a ambição de reformá-la e torná-la mais transparente.

Mas o especialista em malária, que em 2017 venceu na 3ª rodada o britânico David Nabarro, será lembrado por ter comandado a OMS durante a pandemia de xovid-19.

Acusado pelo ex-presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de ter administrado mal a pandemia e de endossar cegamente a linha de defesa da China, ele é, no entanto, amplamente apoiado pela comunidade internacional graças à sua solidariedade inabalável com os países desfavorecidos.

A sua personalidade calorosa, contrastando com a frieza da chinesa Margaret Chan que o precedeu, também lhe permite beneficiar de um bom capital de simpatia em todo o mundo.

E a chegada do democrata Joe Biden à Casa Branca, que trouxe os Estados Unidos de volta à OMS, tornou possível silenciar um pouco as críticas feitas a ele.

Graduado em imunologia e doutorado em saúde comunitária, este ex-ministro da Saúde da Etiópia e ex-chefe da diplomacia é o primeiro diretor-geral da OMS a ser eleito.

Anteriormente, uma única candidatura, proposta pelo Conselho Executivo da agência da ONU, era colocada à votação dos países.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade