Publicidade

Estado de Minas LIMA

Castillo e Keiko debatem em praça no Peru a um mês do segundo turno presidencial


01/05/2021 16:54

O candidato da esquerda, Pedro Castillo, e a da direita, Keiko Fujimori se enfrentaram neste sábado (1) em uma praça do norte do Peru no primeiro debate com vistas ao segundo turno presidencial de 6 de junho.

Os candidatos acordaram abordar temas de saúde, educação, segurança, economia e corrupção neste debate, surgido de um desafio de Keiko ao seu adversário, iniciado às 13h30 locais (15h30 de Brasília) na praça de armas da cidade agrícola de Chota, de 47.000 habitantes, na região de Cajamarca, onde nasceu e reside o candidato da esquerda, 900 km ao norte de Lima.

"O problema da pandemia no Peru não é apenas um problema sanitário [...], é um problema econômico, é um problema moral, um problema social, produto deste modelo neoliberal" que Keiko defende, disse Castillo.

"Construiremos hospitais de alto a baixo do país", declarou Keiko, que iniciou sua intervenção com uma saudação aos membros das Forças Armadas e da Polícia. "Construiremos mais 3.000 colégios, como fez meu pai", acrescentou.

Os dois candidatos prometeram vacinas contra a covid-19 este ano e disseram ter falado com o embaixador da Rússia com este fim. O processo de imunização avança lentamente no Peru e tem sido marcado por controvérsias.

A praça foi isolada horas antes por 200 policiais, enquanto centenas de moradores se concentraram nos arredores para acompanhar o debate, transmitido por emissoras de TV e que dominou as atenções do país.

Ao chegarem, os dois candidatos se cumprimentaram com os punhos e só tiraram as máscaras na sua vez de falar no microfone.

O professor de escola rural e a filha do detido ex-presidente Alberto Fujimori encabeçaram, com 18,92% e 13,40% dos votos, respectivamente, o primeiro turno das eleições, em 11 de abril, que contou com um recorde de 18 candidatos.

Os dois chegaram à praça acompanhados de seguidores e sob vigilância policial. Ela vestia camiseta branca com faixa vermelha da seleção peruana de futebol e ele, seu tradicional chapéu de copa alta, típico de Cajamarca.

Castillo supera Keiko em todas as pesquisas de opinião com vistas ao segundo turno, com vantagem entre 20 e 10 pontos percentuais.

O país, em recessão por causa da pandemia e politicamente instável desde 2016 - teve três presidentes em cinco dias em novembro passado -, agora se encaminha a um segundo turno entre dois candidatos situados nos extremos e que em conjunto obtiveram apenas 32% dos votos no primeiro turno.

Keiko, de 45 anos, defende o livre mercado, enquanto Castillo, de 51, apoia um Estado com ativo papel econômico, inclusive com nacionalizações.

O próximo presidente deverá assumir o poder em 28 de julho, substituindo o chefe de Estado interino Francisco Sagasti.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade