Publicidade

Estado de Minas HONG KONG

Quatro ativistas de Hong Kong se declaram culpados por participar de vigília de Tiananmen


30/04/2021 10:33

O dissidente de Hong Kong, Joshua Wong, detido pelo seu papel nas manifestações pró-democracia de 2019, se declarou culpado junto com outros três acusados, por ter participado da tradicional vigília em memória do movimento de Tiananmen.

Há mais de três décadas, todo 4 de junho à noite, uma multidão se reúne para relembrar a sangrenta repressão em 1989 de Tiananmen.

No ano passado, pela primeira vez, a polícia proibiu essa homenagem, alegando as restrições sanitárias pela pandemia.

Dezenas de milhares de pessoas desobedeceram a proibição e se reuniram, como todo ano, no parque Victoria. Desde então, ações judiciais foram lançadas contra 24 dissidentes de destaque que participaram do ato.

Em uma audiência preliminar nesta sexta-feira (30) em um tribunal, Wong se declarou culpado, junto aos conselheiros do distrito Lester Shum, Tiffany Yuen e Jannelle Leung.

Participar de uma manifestação ilegal é uma infração que pode gerar uma pena de até cinco anos de prisão.

Wong, uma das figuras mais conhecidas do movimento pró-democracia, encara atualmente uma pena de prisão pelo seu papel nas manifestações de 2019 na ex-colônia britânica.

Shum e Yuen foram detidos por terem infringido a draconiana lei de segurança nacional. Wong também é acusado de ter violado essa lei, imposta no ano passado por Pequim. Por sua vez, Leung está em prisão preventiva.

O tribunal anunciará sua decisão sobre esses quatro ativistas em 6 de maio.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade