Publicidade

Estado de Minas SÓFIA

Búlgaros desafiam covid-19 e voltam às pistas de dança


30/04/2021 08:18

Sofia retomou as diversões noturnas, na quinta-feira à noite (29), com a reabertura das discotecas na Bulgária, antes das celebrações da Páscoa ortodoxa e apesar da pandemia de covid-19.

"Sinceramente, não consigo acreditar que fui a uma discoteca depois de tudo que aconteceu. Foi como um sonho!", disse à AFP Sabrina, de 22 anos.

As boates continuam fechadas na maioria dos países da União Europeia.

Na Bulgária, obrigados a fechar as portas no final de outubro, os estabelecimentos noturnos esperavam com impaciência por este momento, com o retorno de 50% de sua capacidade. O entusiasmo segue controlado, enquanto o número de novos contágios se mantém elevado.

"Continuamos à espera do que vai acontecer", disse Krastyo Entchev, gerente de uma discoteca no centro da capital, onde havia em torno de 100 pessoas.

As medidas de segurança obrigam o uso de álcool em gel e que se verifique a temperatura na entrada. No interior, no entanto, o uso de máscara não é obrigatório.

Gabriela, de 20 anos, não está "nada preocupada".

"Não acredito realmente na gravidade desta epidemia", disse a estudante.

Já Yordan Kolev não está tão tranquilo, embora esteja feliz de rever os amigos. "Não ficaremos se estiver muito cheio, ou não estiver bem ventilado", afirmou este técnico de 34 anos, antes de seguir para outra boate de Sofia.

Quase 16.400 pessoas morreram pelo coronavírus neste país de 6,9 milhões de habitantes, a terceira taxa de mortalidade mais alta da UE em relação à população, atrás da Hungria e da República Checa, conforme base de dados da AFP.

- Teste em Liverpool

Em Liverpool, no norte da Inglaterra, o governo britânico fará um teste para avaliar o risco de contágio do coronavírus. Nesta sexta e no sábado, milhares de pessoas, sem máscara e sem obrigatoriedade de distanciamento social, poderão dançar em um clube noturno.

A discoteca Circus de Liverpool estará aberta das 14h às 23h locais nestes dois dias, com som de DJs conhecidos como Sven Väth, Fatboy Slim, ou Yousef Zahar, fundador do clube.

Espera-se a presença de cerca de três mil pessoas por dia, para um evento excepcional que teve seus ingressos esgotados.

Para poder entrar, será necessário apresentar um teste antigênico negativo de covid-19.

"Também se pedirá aos presentes que façam um teste PCR antes e depois do evento para contribuir para a pesquisa e para garantir que qualquer transmissão do vírus seja controlada adequadamente", explicou o governo em sua página on-line.

Haverá álcool em gel no local, mas o uso de máscara não será obrigatório.

Batizado de "The First Dance" (A primeira dança), o evento será "um momento histórico para a música eletrônica e para todos os eventos no Reino Unido", celebrou o DJ Yousef, em um comunicado.

Estas duas noites de discoteca fazem parte de uma série de testes destinados a estudar os riscos de transmissão do coronavírus em multidões, para organizar melhor a reabertura dos grandes eventos esportivos e culturais.

A reabertura dos estabelecimentos noturnos está prevista para 21 de junho.

Entre os outros testes previstos, estão a cerimônia dos Brit Awards, os prêmios da música pop britânica, que acontece em 11 de maio para um público de 4.000 pessoas, e a final da Copa da Inglaterra, em 15 de maio, no estádio de Wembley, que também contará com espectadores.

Com mais de 127.000 mortes por covid-19, o Reino Unido é o país mais afetado pela pandemia na Europa.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade