Publicidade

Estado de Minas TEERÃ

Irã celebra declarações conciliatórias do príncipe-herdeiro saudita


29/04/2021 21:58 - atualizado 29/04/2021 22:01

O Irã celebrou nesta quinta-feira (29) a "mudança de tom" da Arábia Saudita, depois que o príncipe-herdeiro saudita, Mohamed bin Salman, disse que deseja ter "boas" relações com Teerã.

As declarações foram consideradas conciliadoras por Teerã, que desejou abrir um "novo capítulo" nas relações com o rival regional.

O Irã, xiita, e a Arábia Saudita, sunita, romperam relações diplomáticas em 2016 e se acusam há anos de desestabilizar o Oriente Médio.

Além disso, o reino saudita é um aliado dos Estados Unidos, inimigo da República Islâmica do Irã.

Na terça-feira, Mohamed bin Salman, no entanto, afirmou que "o Irã é um país vizinho e tudo o que queremos é [ter] uma relação boa e especial" com ele.

"Não queremos dificuldades para o Irã. Ao contrário, queremos o crescimento do Irã (...) E conduzir a região e o mundo para a prosperidade", disse.

Essas declarações mostram uma mudança de tom, já que o príncipe-herdeiro frequentemente acusa Teerã de alimentar a insegurança regional.

"O Irã foi um pioneiro no caminho da cooperação regional e dá as boas-vindas à mudança de tom da Arábia Saudita", declarou o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores iraniano, Said Khatibzadeh, em um comunicado.

"Ao adotar pontos de vista construtivos baseados no diálogo, esses dois importantes países da região e do mundo islâmico podem superar suas disputas e iniciar um novo capítulo de cooperação para alcançar a paz, a estabilidade e o desenvolvimento regional", acrescentou.

Riade e Teerã apoiam grupos contrários nos conflitos regionais no Iêmen e na Síria.

Em 19 de abril, um oficial do governo iraquiano confirmou que uma delegação saudita liderada pelo chefe dos serviços de Inteligência, Khaled bin Ali al Humaidan, havia se reunido com uma delegação iraniana, liderada por altos funcionários enviados pelo secretário do Conselho Supremo de Segurança Nacional, Ali Chamkhani.

Na ocasião, um diplomata ocidental indicou que havia sido "informado com antecedência sobre essas discussões", que, segundo ele, buscavam "criar melhores relações" entre o Irã e a Arábia Saudita.

Riade negou oficialmente essas reuniões na imprensa estatal e Teerã não fez comentários sobre elas diretamente, limitando-se a afirmar que "sempre aplaudiu" que tenha ocorrido um diálogo com a Arábia Saudita.

O comunicado do ministério iraniano de Relações Exteriores chegou ao final de uma viagem regional do chefe da diplomacia iraniana, Mohamad Javad Zarif, que o levou a Catar, Iraque, Omã e Kuwait.

Após a viagem, Zarif deu conta no Twitter de "sinais positivos".

Na quarta-feira, em Omã, Zarif reiterou durante um encontro com o porta-voz dos rebeldes huthis iemenitas o apoio de Teerã a um cessar-fogo no Iêmen e defendeu a retomada das negociações para pôr um fim a uma guerra que se estende por mais de seis anos.

A Arábia Saudita dirige desde 2015 uma coalizão militar para apoiar o governo iemenita contra os rebeldes huthis.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade