Publicidade

Estado de Minas MOSCOU

Rede do opositor russo Navalny é dissolvida sob ameaça de ser declarada extremista


29/04/2021 14:01

A rede de escritórios regionais do opositor russo Alexei Navalny anunciou nesta quinta-feira (29) sua dissolução sob a ameaça de ser declarada extremista, enquanto seu líder compareceu a uma audiência virtual, com a cabeça raspada e vestido com o uniforme de presidiário.

"Ontem me levaram ao banheiro (...). Tinha um espelho, me olhei: sou um esqueleto horrível", declarou o ativista em uma gravação de áudio transmitida pelo canal de televisão independente Dojd.

O opositor compareceu na audiência de apelação de um caso de difamação contra um veterano da Segunda Guerra Mundial.

A apelação do ativista anticorrupção foi rejeitada e sua multa de 850.000 rublos (US$ 11.360) foi mantida.

Sua advogada, Olga Mikhailova, anunciou sua intenção de levar o caso ao Tribunal Europeu de Direitos Humanos, enquanto Navalny acusou os juízes de "traidores" em sua declaração final.

Paralelamente, nesta quinta, outra audiência foi realizada para examinar o pedido do Ministério Público para que o Fundo de Combate à Corrupção (FBK) e seus escritórios regionais sejam declarados "extremistas".

Se este pedido for aceito, suas atividades serão proibidas e os membros do FBK ou seus apoiadores serão ameaçados com longas penas de prisão.

- Investigações sobre corrupção -

Os debates devem recomeçar no dia 17 de maio. Sem esperar pelo resultado, Léonid Volkov, o diretor da rede regional, anunciou a sua dissolução em um vídeo postado nas redes sociais, indicando que alguns dos 37 escritórios continuariam a funcionar de forma independente.

"Estamos oficialmente dissolvendo a rede de Alexei Navalny", disse Volkov no vídeo.

Esta semana, um tribunal de Moscou proibiu o FBK de praticamente todas as suas atividades, como publicar conteúdo na internet, organizar manifestações e participar de eleições.

Se declaradas "extremistas", as organizações de Navalny se juntariam a uma lista de cerca de 30 outras banidas na Rússia, como o grupo terrorista Estado Islâmico (EI) ou as Testemunhas de Jeová.

Fundado em 2011, o FBK é conhecido por suas investigações sobre a corrupção nos círculos de poder na Rússia.

Em janeiro, fez sua investigação mais importante, na qual acusou o presidente Putin de ter um opulento "palácio" à beira do Mar Negro. O vídeo foi assistido mais de 11 milhões de vezes no YouTube e obrigou Putin a desmentir pessoalmente a acusação.

Militante anticorrupção e grande inimigo do Kremlin, Navalny está detido em uma colônia penitenciária por um velho caso de fraude que o opositor denuncia como político.

Navalny encerrou na sexta-feira uma greve de fome de 24 dias para protestar contra as más condições de sua detenção, devido ao agravamento de seu estado de saúde.

GOOGLE


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade