Publicidade

Estado de Minas MANÁGUA

BCIE concede crédito de US$ 100 milhões à Nicarágua para vacinas anticovid


27/04/2021 21:47

O Banco Centro-Americano de Integração Econômica (BCIE) aprovou nesta terça-feira (27) um empréstimo de 100 milhões de dólares à Nicarágua para vacinar contra a covid-19 mais de dois terços da população prioritária no país.

O financiamento será destinado à compra de 6,86 milhões de vacinas para imunizar 3,27 milhões de pessoas, além da aquisição de insumos para sua aplicação, reforço da rede de transporte e fortalecimento do centro diagnóstico de referência nacional, segundo comunicado publicado no site do BCIE.

"Esta operação cobrirá 69,2% da população priorizada" pela Nicarágua no plano de imunização contra a covid-19, "cujo objetivo é vacinar cerca de 4,7 milhões de habitantes e reduzir a mortalidade", detalhou o banco regional.

O presidente executivo do BCIE, Dante Mossi, lembrou que o banco "colocou à disposição dos países da região 800 milhões de dólares para apoiar os processos de vacinação em cada país".

"A Nicarágua é o terceiro país, depois de Costa Rica e Honduras, a solicitar este financiamento temático para a aquisição e aplicação da vacina", explicou, destacando as "condições muito favoráveis" dos empréstimos.

O empréstimo para Manágua terá prazo de 20 anos, incluindo um período de carência de cinco anos, com taxa de juros de 1,96%, acrescentou o comunicado.

Na Nicarágua, as vacinas serão aplicadas em agentes de fronteira, professores, funcionários do setor de turismo e de outras instituições, bem como grupos de risco entre 40 e 59 anos (50% da população-alvo) e entre 18 e 39 anos (20% da população-alvo), de acordo com os planos apresentados pelo governo.

O país centro-americano está aplicando a vacina AstraZeneca, doada pela Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) e Índia, e no início de março iniciou a administração da Sputnik V russa em pacientes com insuficiência renal, câncer, cardiopatias e outras doenças crônicas.

A meta da Opas, por meio do mecanismo de distribuição Covax, é fornecer vacinas a pelo menos 20% da população de cada país participante neste ano.

A Nicarágua, um dos países que não aplicou medidas de contenção à disseminação do coronavírus, relata oficialmente 6.898 casos e 182 mortes por covid-19.

No entanto, o Observatório do Cidadão, uma plataforma para médicos e para a população, contabiliza 13.806 infecções e 3.055 mortes suspeitas ou associadas à covid-19.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade