Publicidade

Estado de Minas ESTRASBURGO

Ativista feminista saudita Loujain al-Hathloul vence o prêmio Václav Havel


19/04/2021 11:41

A ativista feminista saudita Loujain al-Hathloul, que ficou por muito tempo presa em seu país, venceu o prêmio de Direitos Humanos Václav Havel 2020, anunciou o Conselho da Europa nesta segunda-feira (19).

"Ela militou pelo fim do sistema de tutela masculina, contra a proibição de que as mulheres dirijam e por uma melhor proteção das mulheres agredidas no reino", disse a organização pan-europeia.

Loujain al-Hathloul, de 31 anos, "passou 1.001 dias na prisão pela sua postura e não foi libertada até fevereiro de 2020, apesar de permanecer sob prisão domiciliar e outras restrições", acrescentou o Conselho da Europa.

Sua irmã Lina al-Hathloul, que recebeu o prêmio em seu nome nesta segunda-feira, destacou em vídeoconferência que o apoio internacional era "a única forma de denunciar as injustiças no nosso país e proteger as vítimas".

"Obrigada por nos darem força para continuarmos nossa luta", acrescentou.

"Loujain se sacrificou para que as mulheres da Arábia Saudita pudessem ter uma vida melhor. Por causa de seu ativismo foi sequestrada, presa ilegalmente, brutalmente torturada, mantida em confinamento solitário durante meses, e agora é condenada como terrorista", disse sua irmã.

O prêmio Václav Havel, criado em 2013 e dotado com 60.000 euros, recompensa as ações excepcionais da sociedade civil em defesa dos Direitos Humanos.

Em 2019, foi concedido em conjunto ao intelectual uigur preso Ilham Tohti e a uma Iniciativa de Jovens para os Direitos Humanos que trabalha pela reconciliação nos Balcãs.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade