Publicidade

Estado de Minas BRUXELAS

Líderes da UE viajarão à Turquia em 6 de abril


29/03/2021 11:15

A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, e o chefe do Conselho Europeu, Charles Michel, irão à Turquia no dia 6 de abril para um encontro com o presidente Recep Tayyip Erdogan, anunciou o porta-voz do Conselho nesta segunda-feira (29).

Na semana passada, os chefes de governo dos 27 países da UE abriram uma porta para melhorar as relações com Ancara, desde que o governo turco se empenhasse em uma "redução sustentada" das tensões.

A Turquia vem negociando, sem sucesso, há anos sua integração à União Europeia e é um parceiro fundamental, além de ser membro da Otan, a aliança militar transatlântica.

A Turquia também desempenha um papel central na política de migração comum da UE, servindo como uma barreira de contenção para milhões de pessoas deslocadas e refugiadas que procuram chegar ao território europeu através das ilhas gregas.

No entanto, as relações entre Ancara e Bruxelas passaram por momentos de tensão sem precedentes em 2020, a ponto de acenderem alarmes nas capitais europeias.

A gota d'água foram as ações de prospecção de hidrocarbonetos de um navio turco nas águas do Mediterrâneo Oriental cuja soberania é reivindicada por Chipre, com firme apoio da Grécia, que chegou a mobilizar navios de sua Marinha.

As tensões diminuíram depois que a Otan interveio e criou um canal de contato entre turcos, cipriotas e gregos.

Além disso, Bruxelas e Ancara divergem claramente sobre a situação na Líbia, outro ponto de atrito entre a Turquia e o bloco.

No entanto, a UE admite que nos últimos meses houve gestos por parte da Turquia para preparar o caminho para a reconstrução das relações com Bruxelas.

Na quinta-feira, reunidos em uma cúpula virtual, os líderes dos 27 países prometeram à Turquia a possibilidade de iniciar conversações de alto nível sobre questões de mobilidade humana e vistos, uma aspiração turca há vários anos.

No entanto, a UE alertou que isso só acontecerá se a Turquia mantiver o seu compromisso de melhorar as relações com Bruxelas e respeitar o estado de Direito interno.

"Temos uma estrutura para melhorar nossas relações, mas é essencial que a Turquia modere seu comportamento. Portanto, continuamos a ser prudentes", disse Michel ao final da cúpula.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade