Publicidade

Estado de Minas RIADE

Autoridade saudita nega ter ameaçado relatora da ONU de morte


25/03/2021 11:22

Um alto funcionário saudita negou nesta quinta-feira (25) ter ameaçado de morte a relatora da ONU Agnes Callamard, em meio a uma investigação sobre o assassinato em 2018 do jornalista Jamal Khashoggi.

Durante uma reunião com funcionários da ONU em Genebra, em janeiro de 2020, um alto funcionário saudita ameaçou duas vezes "se encarregar" de Callamard se ela não fosse contida pela ONU, informou nesta semana o jornal britânico The Guardian.

Sem identificar o funcionário saudita, a relatora especial da ONU especializada em execuções extrajudiciais, sumárias e arbitrárias, disse ao jornal britânico que seus colegas em Genebra interpretaram este comentário como uma "ameaça de morte".

"Apesar de não lembrar minhas palavras exatas, nunca quis ameaçar alguém designado pela ONU, ou qualquer outra pessoa", tuitou o chefe da Comissão de Direitos Humanos da Arábia Saudita, Awad Alawad.

"Rejeito esta insinuação nos termos mais enérgicos", escreveu o ex-ministro saudita, acrescentando que está "abatido porque qualquer coisa que disser pode ser interpretada como uma ameaça".

Rupert Colville, porta-voz do Escritório de Direitos Humanos da ONU em Genebra, confirmou que "os detalhes publicados no artigo do The Guardian sobre a ameaça contra Agnes Callamard são exatos". O organismo da ONU informou Callamard sobre esta ameaça, acrescentou em nota recebida pela AFP.

Agnes Callamard não fez comentários imediatos sobre o assunto.

Jamal Khashoggi, um ex-aliado do poder saudita do qual se tornou um grande crítico, foi assassinado no consulado de seu país em Istambul, em 2018, um acontecimento que gerou comoção mundial.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade