Publicidade

Estado de Minas ISLAMABAD

Justiça paquistanesa ordena que acusado de assassinato de jornalista americano deixe a cela


25/03/2021 10:27

O Tribunal Supremo do Paquistão ordenou nesta quinta-feira (25) que o principal suspeito do sequestro e assassinato em 2002 do jornalista americano Daniel Pearl, que foi absolvido em janeiro, deixe a cela e seja levado para as dependências dos funcionários da prisão.

No fim de janeiro, a mesma corte, mas com juízes diferentes, absolveu Ahmed Omar Saeed Sheikh das acusações de sequestro e assassinato, assim como outros três supostos cúmplices, e exigiu sua "libertação imediata".

Depois da decisão, foram apresentados vários recursos de apelação. O governo dos Estados Unido pediu a extradição de Sheikh, detido desde 2002, para julgamento.

"Não estamos satisfeitos com a detenção contínua desta pessoa", afirmou o juiz Umar Ata Bandial, ao examinar uma das apelações. "Deve ser alojado em um dos edifícios governamentais em que vivem os funcionários da prisão", decidiu.

Sheikh, que estava em uma prisão de Karachi (sul), deve ser levado para Lahore (leste), cidade de sua família, segundo a Promotoria. Não foi divulgada uma data para o anúncio de uma sentença definitiva sobre o caso.

Ahmed Omar Saeed Sheikh, de 47 anos, foi condenado à morte em 2002 pelo assassinato de Pearl. Em abril de 2020, um tribunal anulou a condenação e comutou a pena para sete anos de prisão por sequestro, período superado por seus 18 anos na prisão. O Tribunal Supremo foi ainda mais longe em janeiro e absolveu o réu.

Pearl era o diretor do escritório para o sul da Ásia do The Wall Street Journal quando foi sequestrado em janeiro de 2002, em Karachi, quando trabalhava em uma reportagem sobre militantes islamitas. Um mês depois, o consulado dos Estados Unidos recebeu um vídeo que mostrava sua decapitação.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade