Publicidade

Estado de Minas PARIS

França convoca embaixador chinês após 'declarações inaceitáveis'


23/03/2021 11:37

A França convocou nesta terça-feira (23) o embaixador da China para reclamar das declarações "inaceitáveis" depois da publicação de uma série de tuítes dirigidos a legisladores franceses e a um pesquisador.

O embaixador Lu Shaye foi convocado ao ministério das Relações Exteriores "nesta manhã para informá-lo de todas as queixas que temos sobre ele", disse o ministério.

O diretor da Ásia do ministério francês, Bertrand Lortholary, disse ao diplomata que "os métodos da embaixada e o tom de seus comentários públicos são completamente inaceitáveis e excedem todos os limites comumente aceitos por qualquer embaixada do mundo".

A citação foi emitida na segunda-feira pelos "insultos e ameaças" feitos por Lu em um momento em que a China e os países ocidentais se enfrentam pelas denúncias de abusos de direitos de Pequim contra a minoria muçulmana uigur.

No entanto, exepcionalomente em uma situação como esta, de acordo com o protocolo diplomático habitual, Lu demorou para cumprir a exigência de comparecer ao ministério.

O secretário de Assuntos Europeus, Clément Beaune, disse no início desta terça-feira que Lu desprezou o pedido inicial, e a embaixada chinesa em Paris alegou "problemas de agenda" em uma mensagem no Twitter.

Lu, um diplomata conhecido pelos seus comentários agressivos na conta do Twitter da embaixada, apontou recentemente várias pessoas, entre elas Antoine Bondaz, especialista na China do think tank Fundação para a Pesquisa Estratégica (FRS).

Na sexta-feira, referiu-se a Bondaz como um "bandido mesquinho", uma "hiena enlouquecida" e um "troll ideológico" com posturas "anti-chinesas", depois que Bondaz reclamou da pressão chinesa sobre os legisladores franceses que esperavam visitar Taiwan.

Lu também falou dos legisladores franceses que planejam fazer uma viagem a Taiwan.

"Ao dirigir-se aos legisladores, o próprio embaixador desprezou o princípio fundamental da separação de poderes, e foi convidado a ser observado mais estritamente daqui para frente", disse o ministério.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade