Publicidade

Estado de Minas WASHINGTON

EUA sanciona dois altos funcionários chineses por abusos contra uigures


22/03/2021 13:51 - atualizado 22/03/2021 13:55

O Departamento do Tesouro dos Estados Unidos anunciou nesta segunda-feira (22) sanções contra dois altos funcionários chineses por sua atuação em "graves abusos aos direitos humanos" contra muçulmanos uigures e outras minorias na região de Xinjiang.

"As autoridades chinesas continuarão a enfrentar as consequências enquanto ocorrerem atrocidades em Xinjiang", afirmou Andrea Gacki, autoridade responsável pelo programa de sanções do Departamento do Tesouro.

As sanções visam Wang Junzheng, secretário do Comitê do Partido Comunista Chinês do Corpo de Produção e Construção de Xianjiang (XPCC), e Chen Mingguo, diretor do Departamento de Segurança Pública de Xinjiang.

A ação do Tesouro faz parte de um esforço coordenado da União Europeia, Reino Unido, Canadá e Estados Unidos para aumentar a pressão sobre Pequim por colocar mais de um milhão de cidadãos de Xinjiang, em sua maioria uigures muçulmanos, em campos com programas de trabalho forçado.

O Tesouro explicou em um comunicado que o XPCC é um grupo paramilitar que aplica os rígidos controles de Pequim em Xinjiang, em paralelo com o Departamento de Segurança Pública.

"O governo chinês trata quase todas as expressões de fé como um sinal de 'extremismo' religioso ou separatismo étnico", disse o Tesouro.

Os alvos das operações de Pequim em Xinjiang "são frequentemente detidos e supostamente submetidos a vários métodos de tortura e 'reeducação política'", denunciou.

As sanções têm como objetivo impedir que as pessoas sancionadas façam negócios com americanos ou tenham acesso ao sistema financeiro global.

Também congelam ativos que possam ter sob a jurisdição americana.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade