Publicidade

Estado de Minas WASHINGTON

EUA manifestam preocupação com prisão de ex-funcionários na Bolívia


15/03/2021 17:54

O governo americano declarou nesta segunda-feira que acompanha com preocupação a situação na Bolívia, onde a ex-presidente interina Jeanine Áñez e membros do seu gabinete foram detidos sob a acusação de terem participado de um suposto golpe de Estado contra o ex-presidente Evo Morales.

"Os Estados Unidos acompanham com preocupação os acontecimentos relacionados à prisão recente de ex-funcionários pelo governo boliviano", declarou a vice-porta-voz do Departamento de Estado, Jalina Porter.

Jeanine Áñez deixou o poder na Bolívia em novembro de 2020, após a vitória eleitoral de Luis Arce, do Movimiento Al Socialismo (MAS), liderado por Morales. A ex-senadora de direita substituiu Morales em novembro de 2019, depois de ele renunciar em meio a protestos após a sua reeleição em eleições classificadas como fraudulentas.

Presa sob a acusação de rebelião, terrorismo e conspiração, Jeanine foi condenada neste domingo a cumprir quatro meses de prisão preventiva enquanto aguarda seu julgamento. Ela foi detida na véspera, assim como seus ministros Álvaro Coímbra (Justiça) e Rodrigo Guzmán (Energia). A ordem do Ministério Público também chega aos ex-ministros Arturo Murillo (Interior), Luis Fernando López (Defesa) e Yerko Núñez (Presidência).

O Departamento de Estado americano pediu a "amigos, vizinhos e bolivianos" que defendam "todos os direitos civis e as garantias do devido processo. Nossa preocupação se soma à manifestada por líderes cívicos, políticos e religiosos da Bolívia, bem como da comunidade internacional", declarou Jalina Porter.

Morales, que governou a Bolívia de janeiro de 2006 a novembro de 2019, aspirava a permanecer no poder até 2025 ininterruptamente.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade