Publicidade

Estado de Minas BEIRUTE

Os números de 10 anos de guerra na Síria


08/03/2021 09:12

Dez anos de guerra na Síria interromperam a vida de milhões de pessoas, afundaram a economia e destruíram infraestruturas vitais em todo o país. Aqui estão os números que ilustram a magnitude da tragédia.

- Custo humano -

Mais de 387.000 mortos desde o início da guerra em 2011, desencadeada pela repressão sangrenta de manifestações pró-democracia, de acordo com dados do Observatório Sírio para os Direitos Humanos (OSDH).

Quase de 5,6 milhões de refugiados no exterior, principalmente em países vizinhos (Turquia, Líbano e Jordânia), segundo a agência de refugiados da ONU. Mais de um milhão são crianças sírias nascidas no exílio.

Aproximadamente 6,7 milhões de deslocados internos, segundo a ONU, muitos dos quais vivem em campos.

Mais de 100.000 prisioneiros mortos por tortura nas prisões do regime, de acordo com o OSDH.

Cerca de 100.000 pessoas ainda estão presas e 200.000 estão desaparecidas.

Oito anos e seis meses se passaram desde o desaparecimento do jornalista americano Austin Tice, em 14 de agosto de 2012.

Oito anos e três meses se passaram desde o desaparecimento do jornalista britânico John Cantlie, sequestrado pelo grupo Estado Islâmico em 22 de novembro de 2012.

No total, 38 ataques com armas químicas, segundo a ONU, 32 dos quais atribuídos ao regime. Um desses ataques causou cerca de 1.400 mortes em 2013.

- País fragmentado -

Pouco mais de 20 milhões de pessoas vivem atualmente na Síria, de acordo com uma estimativa do Escritório da ONU para a Coordenação de Assuntos Humanitários (OCHA).

Cerca de 13,4 milhões de pessoas vivem nos territórios sob controle do regime, segundo o OCHA.

Após várias reconquistas, o regime controla quase dois terços do território.

Cerca de 2,9 milhões de pessoas vivem na região de Idlib, o último grande reduto de jihadistas e rebeldes no noroeste. Existem 1,3 milhão de pessoas deslocadas em mais de mil campos informais.

Cerca de 2,6 milhões de pessoas vivem nos territórios curdos do nordeste e do leste. E 1,3 milhão estão em bolsões de território no norte da Síria, na fronteira com a Turquia, sob o controle das forças turcas e seus apoiadores sírios.

- Economia devastada -

Cerca de 13,4 milhões de pessoas na Síria precisam de ajuda humanitária para viver, de acordo com estimativas da ONU.

E 12,4 milhões de pessoas vivem no país em situação de insegurança alimentar, segundo o Programa Mundial de Alimentos.

Mais de 60% das crianças na Síria correm o risco de passar fome, de acordo com a ONG Save the Children.

O custo econômico de 10 anos de guerra é calculado em 1,2 trilhão de dólares, de acordo com um relatório recente da ONG World Vision.

A queda na receita de hidrocarbonetos durante a guerra é estimada em 91,5 bilhões de dólares, informou o Ministro do Petróleo e Recursos Minerais da Síria em fevereiro.

Segundo a mesma fonte, o nível de produção do pré-guerra era de 400 barris por dia (bd). Caiu para 89 bd produzidos em 2020, 80 deles nas regiões curdas.

Em 10 anos de guerra, a libra síria perdeu 98% de seu valor em relação ao dólar no mercado negro.

Os preços dos alimentos estão 33 vezes mais altos do que a média dos últimos cinco anos antes da guerra, de acordo com a ONU.

O preço do pão subsidiado aumentou seis vezes nas áreas do regime em comparação com 2011.

- Infraestruturas em ruínas -

Um terço das escolas foram destruídas ou requisitadas pelos combatentes, segundo a ONU, e apenas 58% dos hospitais do país estão "em pleno funcionamento". Cerca de 70% do pessoal médico fugiu do país.

Mais de 2,4 milhões de crianças estão fora da escola na Síria, de acordo com o UNICEF.

E 70% das subestações da rede elétrica e sua rede de abastecimento de combustível estão fora de serviço, de acordo com o Ministério de Energia da Síria em 2019.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade