Publicidade

Estado de Minas EDIMBURGO

Premiê escocesa defende posição em escândalo sexual contra seu antecessor


03/03/2021 06:56 - atualizado 03/03/2021 07:01

A primeira-ministra da Escócia, a separatista Nicola Sturgeon, acusada de interferir e de mentir no âmbito de uma investigação por agressões sexuais contra seu predecessor, Alex Salmond, disse nesta quarta-feira (2) que atuou "adequadamente", rebatendo os pedidos por sua renúncia.

"Em uma das situações políticas e pessoais mais odiosas que já enfrentei, acredito que agi de forma correta e adequada e que, em geral, tomei a melhor decisão que podia", afirmou Sturgeon a uma comissão de inquérito do Parlamento escocês, em Edimburgo.

Salmond, 66 anos, - primeiro-ministro da Escócia de 2007 a 2014 e líder do Partido Nacionalista Escocês (SNP) durante mais de 20 anos - acusa Sturgeon - sua ex-protegida que o sucedeu nos dois cargos - de enganar deliberadamente o Parlamento regional buscando sua "detenção" por acusações de agressão sexual, incluindo tentativa de estupro, contra nove mulheres. Ele foi absolvido das acusações pela justiça no ano passado.

Este conflito abala o cenário político escocês a pouco mais de dois meses das legislativas regionais nas quais o SNP espera conquistar uma ampla vitória para pressionar Londres a organizar um novo referendo de autodeterminação.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade