Publicidade

Estado de Minas NOVA YORK

Procurador de Manhattan obtém declarações de IR de Trump


25/02/2021 13:22

O procurador de Manhattan Cyrus Vance, que investiga Donald Trump por sonegação de impostos, obteve as declarações de imposto de renda do ex-presidente, após uma longa batalha legal - anunciou um porta-voz nesta quinta-feira (25).

"Nosso escritório obteve os documentos na segunda-feira", disse à AFP Danny Frost, porta-voz de Vance.

A Suprema Corte dos Estados Unidos rejeitou, na segunda-feira, o pedido final dos advogados de Trump para impedir que suas declarações de renda fossem entregues à Procuradoria de Manhattan.

Vance vem tentando obter as declarações de impostos de Trump e outros documentos fiscais de 2011 a 2018 há mais de um ano, mas o escritório de contabilidade do ex-presidente, Mazars, se recusava a divulgá-los.

Inicialmente, a investigação se concentrou em um pagamento feito à atriz pornográfica Stormy Daniels e outra suposta amante de Trump para comprar seu silêncio, em violação à lei de financiamento eleitoral dos Estados Unidos.

Mas a acusação recentemente deu a entender que a investigação poderia ser mais ampla e se estender ao "possível comportamento criminoso dentro da Trump Organization", a empresa que reagrupa os negócios do ex-magnata do mercado imobiliário e não está listada na bolsa de valores.

"Esta investigação é a continuação da maior caça às bruxas polícia na história do nosso país", afirmou Trump em um comunicado após a decisão.

"A Suprema Corte não deveria jamais ter permitido essa 'expedição de pesca'" de Vance, sustentou. "Seguirei lutando, como venho fazendo nos últimos cinco anos (antes mesmo de ser eleito com sucesso), apesar de todos os crimes eleitorais que foram cometidos contra mim. Eu ganharei", garantiu.

Durante sua campanha eleitoral, Trump prometeu publicar suas declarações de impostos, mas nunca o fez. Ele foi o primeiro presidente desde Richard Nixon que se recusou a liberar suas declarações fiscais.

De acordo com a imprensa americana, os investigadores da promotoria questionaram recentemente os funcionários do Deutsche Bank, apoiadores financeiros de Trump e sua holding durante anos, assim como funcionários de sua seguradora, Aon.

Também entrevistaram o ex-advogado pessoal de Trump, Michael Cohen, que está cumprindo prisão domiciliar. Cohen disse ao Congresso que Trump e sua empresa inflaram ou reduziram artificialmente o valor de seus ativos para obter empréstimos bancários ou reduzir impostos.

Se as suspeitas forem confirmadas e Trump for indiciado, o caso pode culminar na prisão do ex-presidente, que reside em seu clube de golfe em Mar-a-Lago, Flórida, desde que deixou a Casa Branca em 20 de janeiro.

Uma investigação do New York Times que obteve informações sobre duas décadas de impostos DE Trump e suas empresas revelou em setembro que o ex-presidente sofreu pesadas perdas, tem grandes dívidas e evitou pagar imposto de renda federal em 11 dos 18 anos examinados.

Em 2016 e 2017, ele pagou apenas US$ 750 em impostos, de acordo com o Times.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade