Publicidade

Estado de Minas NOVA DÉLHI

Ex-ministro acusado de assédio no primeiro caso #MeToo na Índia perde processo


17/02/2021 13:41

O ex-ministro indiano MJ Akbar perdeu, nesta quarta-feira (17), seu processo de difamação movido contra a jornalista Priya Ramani, que o acusou publicamente de assédio sexual em 2018, dando início ao movimento #MeToo na Índia, anunciou à AFP a advogada da defesa.

Em 2018, Priya Ramani foi a primeira mulher a tornar públicas suas acusações de assédio contra MJ Akbar - ex-chefe de redação de um jornal na época dos eventos denunciados - que mais tarde se tornou ministro de segundo escalão no governo de Narendra Modi.

Atenta ao movimento #MeToo que se espalhava pelo planeta, Priya Ramani se aventurou a escrever um artigo sobre o comportamento inadequado de um jornalista em relação a ela, sem ousar dizer seu nome.

Mas no ano seguinte, ela o fez: MJ Akbar.

"Falei porque as mulheres antes de mim também falaram", disse Priya Ramani em um festival de literatura em 2019.

Ela tinha 23 anos, mais de 20 anos atrás, quando MJ Akbar a convidou a um quarto de hotel em Bombaim para uma entrevista de emprego. "Você sabe como beliscar, bater, esfregar, pegar e agredir", escreveu no artigo.

O interessado refutou as acusações "infundadas". Pouco depois, Akbar renunciou ao cargo ministerial e processou Priya Ramani por difamação, alegando que ela havia "causado danos irreparáveis à (sua) reputação".


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade