Publicidade

Estado de Minas LONDRES

Steven Appleby, cartunista que encontra superpoderes nas roupas femininas


09/02/2021 11:42

Nem todos os super-heróis usam capa, alguns preferem vestidos como August Crimp, que se torna "Dragman" quando se veste de mulher, personagem inspirado no passado de seu autor, o britânico Steven Appleby.

Em sua primeira história em quadrinhos, cheia de humor e suspense, Appleby, que começou como cartunista de jornal, apresenta um homem que descobre que tem o poder de voar quando se veste de mulher e que também adora fazer isso.

Envergonhado por essa paixão secreta, August abandona os vestidos e decide levar uma vida de pai comum. Mas quando sua jovem vizinha lhe pede ajuda, não tem escolha a não ser pegar as meias e o batom e voltar ao trabalho.

"Coloquei muito da minha experiência no livro", explica Appleby, de 65 anos, em uma entrevista à AFP em seu estúdio no sul de Londres, usando uma peruca loira e um elegante vestido preto e dourado.

Como seu personagem, Steven descobriu desde cedo que gostava de se travestir. Na época, era estudante.

"Encontrei meias atrás de um sofá e de repente pensei que poderia me vestir e parecer uma menina", lembra. Foi uma experiência que o divertiu e ao mesmo tempo "o encheu de vergonha e medo de que um colega descobrisse", afirma.

No livro, a esposa de August, Mary, é carpinteira, como a esposa de Steven, Nicola Sherring, quando ele a conheceu. Juntos tiveram dois filhos e, embora já não sejam um casal, ela continua a ser a sua "melhor amiga" e foi ela quem ilustrou "Dragman".

"A grande diferença entre eu e August é que eu disse a ela que gostava de me fantasiar quando nos conhecemos", conta.

"Ela não ligava, íamos às compras, tínhamos o mesmo tamanho e eu usava algumas roupas dela. Ela achava divertido, mas percebeu que também era uma obsessão e tudo se complicou", relata.

Ainda casados, mas separados, vivem sob o mesmo teto com o novo namorado de Nicola e criam juntos seus dois filhos e os filhos de Nicola nascidos de outros relacionamentos.

Sua família sempre o apoiou, mas Appleby admite que levou muito tempo para aceitar sua identidade.

Ele deu o salto há 12e anos e, desde então, só se veste de mulher.

"Acho que era o medo que me impedia de fazer isso", diz. No final, seus filhos não se incomodaram.

- Agradecimentos de mulheres transgênero -

Agora, Steven às vezes se chama "Nancy" e diz que aceita o uso do pronome "ele" ou "ela".

Ele criou o personagem "Dragman" em 2002, quando todas as semanas no jornal The Guardian desenhava um personagem "saindo do armário".

"Para mim era uma forma de brincar com o assunto sem precisar dizer que era travesti", lembra.

No entanto, ele nunca contou a seus pais, uma canadense e um inglês que o criaram em uma antiga casa paroquial no norte da Inglaterra.

Quando criança, Steven foi enviado para um internato e mais tarde estudou arte. Ele acabou indo parar no Royal College of Art de Londres, com Quentin Blake, famoso ilustrador de livros infantis, como tutor.

Foi Blake quem o encorajou a "encontrar seu próprio estilo".

Desde a publicação de "Dragman", Appleby diz que recebeu mensagens de agradecimento de mulheres trans.

"Alguém até me escreveu para dizer que acabara de dizer à esposa que gostava de se vestir de mulher", explica, acrescentando que ela aceitou bem.

Com "Dragman", ele retornou ao universo dos super-heróis e da ficção científica que embalou sua infância.

Appleby admite que tem uma predileção por Batman. E diz: "acho que a Mulher-Gato influenciou a maneira como me visto", com um sorriso realçado por um batom vermelho.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade