Publicidade

Estado de Minas DOVER

Nervosismo e esperança em Dover com aproximação do Brexit


31/12/2020 15:48

"Estaremos melhor fora!", diz Maureen Martin antes do adeus da Grã-Bretanha às regras europeias, um sentimento compartilhado por muitos residentes do porto inglês de Dover que votaram esmagadoramente a favor do Brexit, embora alguns não escondam seu nervosismo.

"Vai demorar um pouco, mas desde o início não deveríamos ter entrado na UE", Martin continua. Questionada pela AFP sobre o que acontecerá após essa ruptura histórica, a aposentada se alegra por trás dos óculos escuros por finalmente ser capaz de "governar a nós mesmos e ser nossos próprios patrões".

Às 23h do horário local (20h de Brasília) desta quinta-feira, o Brexit votado em 2016 vai se tornar uma realidade para o país, que saiu oficialmente da União Europeia no dia 31 de janeiro, mas teve um período de transição para amortecer o golpe.

A assinatura no limite do prazo de um acordo de livre comércio com a UE permitirá que as empresas britânicas tenham acesso ao mercado único europeu sem cotas ou tarifas aduaneiras.

Sem esse acordo, algum caos poderia acontecer na fronteira, especialmente em Dover, o principal porto inglês do Canal da Mancha.

No entanto, os exportadores terão que preencher declarações alfandegárias e o governo do Reino Unido prevê alguns tropeços iniciais.

Ernie Monk, também aposentado, acredita que a concretização do Brexit "deve beneficiar muito Dover", já que "o frete vai circular muito mais por aqui".

Em tempos normais, até 10.000 caminhões passavam pela cidade, portanto, apesar do Brexit, Monk não vê "nenhuma razão" para que o comércio pare, até mesmo prevendo que "deve aumentar, se tudo correr bem".

- "Estressante" -

No entanto, seu otimismo não é compartilhado por todos em Dover, onde 62% dos habitantes votaram pela saída da UE no referendo de 2016.

"Como residente daqui, estou um pouco nervoso, porque obviamente já tivemos muitos problemas aqui", relatou Kirk Hugh, que trabalha no setor informático, preocupado.

Dover experimentou na semana passada, com o fechamento das fronteiras devido a uma nova cepa do vírus que surgiu no Reino Unido, as possíveis interrupções e filas de caminhões que o Brexit poderia gerar.

Vários milhares de caminhoneiros ficaram completamente bloqueados no sudeste da Inglaterra por dois dias após o fechamento total da fronteira francesa, decretado após o anúncio da nova variante mais contagiosa do vírus.

"Minha esposa trabalha em Ashford e entrar e sair de Dover costuma ser um pesadelo, então é provavelmente isso que nos espera", lamenta Kirk, que teme "algumas semanas de transição".

No momento, caminhões circulam com certa fluidez em Dover e os moradores aproveitaram esses últimos dias de sol do ano para caminhar em frente ao mar.

"Acho que vai ser muito estressante para todos, já que é uma situação desconhecida e as pessoas não sabem o que vai mudar", reconhece Aaron Kinnear na praia, onde alguns corajosos tomam banho apesar das temperaturas invernais.

"Mas tenho esperança de que no final continuaremos juntos e sairemos dessa, que tudo correrá bem. Espero que sim!", Completa.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade