Publicidade

Estado de Minas PARIS

Europa supera 25 milhões de casos em um Natal ofuscado pelo coronavírus


25/12/2020 21:31

A Europa superou nesta sexta-feira (25) a marca trágica de 25 milhões de casos de coronavírus, em uma pandemia que ofuscou o Natal em todo o mundo, enquanto vários países latino-americanos lançaram suas campanhas de vacinação.

A Europa, que em meados de dezembro foi a primeira região a superar o meio milhão de mortes, é a mais afetada do mundo em número de contágios, segundo contagem da AFP baseada em fontes oficiais.

No total, a covid-19 matou mais de 1,7 milhão de pessoas em todo o mundo e os contágios passaram de 79 milhões.

Em sua tradicional mensagem de Natal, o papa Francisco insistiu na "necessidade de fraternidade" neste momento da história, "marcado pela crise ecológica e pelos graves desequilíbrios econômicos e sociais, agravados pela pandemia do coronavírus".

O pontífice argentino também dirigiu algumas palavras às famílias "que não podem se reunir hoje, assim como as que se veem obrigadas a ficar em casa", neste insólito Natal, no qual muitas pessoas não puderam estar com seus entes queridos, devido às restrições provocadas pela pandemia.

O diretor da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, falou precisamente destes sacrifícios neste "ano terrível": "Temos visto os sacrifícios que tanta gente faz para proteger e preservar a vida. Não devemos desperdiçar estes sacrifícios", disse.

"Mas temos esperança: as vacinas oferecem a solução para sair por fim desta tragédia. Mas será preciso tempo para que todo o planeta esteja vacinado", afirmou em uma mensagem natalina por vídeo.

- "A saúde da humanidade" -

Neste sentido, o papa Francisco fez um apelo para que "as vacinas sejam para todos, especialmente para os mais vulneráveis".

"As leis do mercado e as patentes" não devem estar acima da "saúde da humanidade", disse em seu discurso de Natal.

Segundo a OMS, 61 vacinas iniciaram testes em seres humanos, das quais 16 estão em fase final. E 172 estão sendo desenvolvidas em laboratórias de todo o mundo.

O Reino Unido, onde foi detectada uma nova cepa de SARS-CoV-2, é o país onde a epidemia mais se acelera.

Um estudo divulgado nesta quinta pela internet e ainda não confirmado por nenhuma revista científica sustentou que esta nova variante "poderia ser entre 50% e 74% mais contagiosa" do que as cepas em circulação até agora.

Uma descoberta que desperta muita preocupação.

Um caso desta cepa foi detectado na França em um francês residente no Reino Unido, anunciou nesta sexta o Ministério da Saúde. O homem, "assintomático", foi isolado em quarentena.

Anteriormente, casos desta variante foram detectados na Alemanha, em uma mulher que chegou de avião procedente de Londres, e no Líbano, também em uma pessoa que veio da capital inglesa.

A respeito da outra variante identificada na África do Sul, "nada demonstra" que esta cepa seja mais perigosa ou contagiosa do que a mutação britânica, assegurou o ministro sul-africano da Saúde, Zwelini Mkhize.

No Reino Unido, milhares de caminhoneiros passaram a noite de Natal perto do porto de Dover, no sul da Inglaterra, sem saber quando poderão passar, obrigados a apresentar um exame negativo de covid-19 para entrar no continente.

A situação, no entanto, parecia melhorar, e segundo as autoridades francesas, do outro lado do Canal da Mancha, o tráfego será "totalmente reabsorvido" no sábado.

- Aceleração da vacinação -

Diante do temor de que o vírus se propague mais rápido, os países fazem tudo o possível para lançar suas campanhas de vacinação.

Na União Europeia (UE), a imunização começará no domingo em vários países, mas as altas cifras de contágio levaram vários governos como o da Itália, Áustria e Irlanda a impor restrições para as festas de fim de ano.

Na América Latina, México, Chile e Costa Rica começaram as imunizações com as vacinas dos laboratórios

No México, a primeira a recebê-la foi uma enfermeira de 59 anos.

"É o melhor presente de Natal que poderia ganhar em 2020, me dá mais segurança e ânimo para seguir na guerra contra um inimigo invisível", disse Maria Irene Ramírez.

Com 120.000 mortos por covid, o país de 129 milhões de habitantes é o quarto mais enlutado pela pandemia, depois de Estados Unidos, Brasil e Índia.

O Chile obteve um primeiro lote de 10.000 doses da mesma vacina, que começou a administrar imediatamente. E a Costa Rica, onde chegaram na quarta-feira as primeiras 9.750 doses, fez o mesmo.

- Primeiro lote da vacina russa chega à Argentina -

A Argentina, por sua vez, recebeu nesta quinta uma carga de 300.000 doses da vacina russa contra a covid-19, a Sputnik V.

O imunizante russo foi aprovado "em caráter de emergência" na quarta-feira pelo ministério da Saúde argentino. Trata-se da primeira autorização recebida por esta vacina na América Latina.

Cuba, enquanto isso, anunciou que exigirá dos viajantes que chegarem ao seu território um exame PCR negativo recente, após alcançar na quinta a cifra recorde de 217 casos de covid-19.

Nos Estados Unidos, o país com mais mortes (329.000) e contagiados (mais de 18,6 milhões), o presidente Donald Trump elogiou as "milhões de doses" que se distribuem "de uma vacina segura e eficaz que salvará milhões de vidas".

"Um verdadeiro milagre de Natal", disse Trump.

Twitter


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade