Publicidade

Estado de Minas

Leopoldo López diz a Ethan Hawke que dois partidos dos EUA apoiam oposição na Venezuela


27/10/2020 23:19

O opositor venezuelano Leopoldo López concedeu uma entrevista esta semana antes de fugir para Madri para o ator e roteirista americano Ethan Hawke, na qual o ex-prisioneiro disse que a oposição na Venezuela tem o apoio de republicanos e democratas nos Estados Unidos.

Em vídeo divulgado na noite de segunda-feira, o ator hollywoodiano e o líder político revelaram, ainda, ter estudado juntos em uma escola do ensino médio nos Estados Unidos e especularam sobre um possível projeto de Hawke sobre a história de López e da crise na Venezuela.

Hawke, que é muito crítico do presidente americano e o considera um "fascista", perguntou a López: "Não posso imaginar que o governo de Donald Trump tenha ajudado [a Venezuela], mas talvez o tenha feito?".

López respondeu que, "para ser honesto", a administração Trump "tem levado o caso da Venezuela muito a sério e tem sido muito ativa" em pressionar o presidente venezuelano, Nicolás Maduro, para que abandone o poder.

"Mas o caso da Venezuela está além das linhas partidárias", prosseguiu o mentor do líder parlamentar, Juan Guaidó, reconhecido como presidente interino da Venezuela por cerca de 50 países.

"É um dos poucos episódios onde você vê que as diferenças dos partidos se apagam a favor de uma causa comum e essa é a nossa luta".

Trump assegura à diáspora venezuelana que só sua reeleição em 3 de novembro garantirá a saída de Maduro do poder, enquanto seu adversário, o democrata Joe Biden, afirma que essa é uma promessa vazia e oferece aos venezuelanos status de proteção temporária para que possam morar e trabalhar nos Estados Unidos.

Em dezembro, o presidente promulgou a lei VERDADE, uma iniciativa que estabelece como "política dos Estados Unidos apoiar o compromisso diplomático para avançar em uma solução pacífica e neutra" para a crise venezuelana.

- "Um projeto grande?" -

No vídeo, Hawke apresenta López como "um dos opositores mais corajosos do ditador da Venezuela (...) e um velho amigo".

"Tem sido um longo caminho", responde o ex-prefeito do município de Chacao, na região de Caracas.

Os dois estudaram juntos o ensino médio no Hun School de Princeton, em Nova Jersey, e integravam a mesma equipe de remo, confirmou à AFP um porta-voz da Human Rights Foundation (HRF), que produziu a entrevista. López se formou em 1989, um ano depois de Hawke.

O líder opositor venezuelano contou ao ator, em meio a risos, que sempre assiste a seus filmes, mas ninguém acredita quando diz, "Ei, ele é meu amigo".

"Pois agora, você pode mandar esta entrevista para eles", responde Hawke, indicado a quatro Oscar, de sua residência no Brooklyn.

E acrescenta: "vou tentar com que contratem a nós dois para fazer um perfil sobre você. Vou buscar a melhor plataforma possível para talvez escrever sobre você, contar a sua história, a história do seu povo e a causa pela qual estão lutando".

"Excelente, me sentiria honrado", responde López, então refugiado em Caracas.

Uma semana depois desta videochamada, neste domingo, López chegou a Madri, após sair clandestino da Venezuela.

Ele foi sentenciado em 2015 a quase 14 anos de prisão, acusado de incitação à violência em protestos contra Maduro, que deixaram 43 mortos e milhares de feridos. Em 2017, foi para a prisão domiciliar e, após um frustrado levante militar dois anos depois, refugiou-se na residência do embaixador espanhol em Caracas.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade