Publicidade

Estado de Minas

Congresso espanhol rejeita moção de censura da extrema direita


22/10/2020 10:49

O Congresso dos Deputados espanhol rejeitou, nesta quinta-feira (22), uma moção de censura contra o governo de esquerda, promovida pelo grupo de extrema direita Vox, na qual o Partido Popular (direita) votou contra para se distanciar da formação.

A iniciativa conseguiu apenas 52 votos a favor, dos deputados do Vox, e 298 contra, incluindo os 88 do PP.

"Dizemos não à ruptura que vocês buscam, não à polarização que vocês precisam", disse no debate o líder do Partido Popular (PP), Pablo Casado, em um duro discurso no qual buscou se distanciar do chefe do Vox, Santiago Abascal.

Até esta quinta-feira, o PP manteve a dúvida sobre se iria se abster, para não ofender o eleitorado do Vox, ou se iria se opor, para se afastar do partido que vem roubando seu espaço nos últimos anos.

"O que desejam não é mudar o governo, mas desbancar o PP" como líder da oposição, denunciou Casado a Abascal no debate. "Chegamos até aqui", afirmou.

Ele acusou o Vox de ser o "salva-vidas" do governo, já que suas posturas radicais fariam com que a coalizão de esquerda governante e seus aliados cerrassem fileiras, enquanto prejudicam as opções do PP - "a política adulta" e a única "alternativa confiável".

Casado se esforçou, no entanto, para mostrar "respeito" aos eleitores do Vox, a terceira força no Congresso, que "não merecem ser usados em uma estratégia que afasta a agenda alternativa".

"Hoje, o senhor se juntou à caricatura brutal do Vox (...) e dos milhões de espanhóis que votaram em nós", respondeu Abascal, que garantiu a continuidade de suas coalizões com o PP, que governa as regiões de Madri, Andaluzia e Múrcia.

Fundado em 2014 por Abascal, ex-membro do PP, o Vox está há dois anos arrancando votos do partido conservador, colocando-o, para a satisfação da esquerda governante, em um difícil dilema entre buscar a centralidade para continuar sendo um partido no governo, ou virar à direita para conter a fuga de seus eleitores.

Em um discurso de mais de duas horas na quarta-feira, no qual acusou União Europeia e China, Santiago Abascal afirmou que o governo do socialista Pedro Sánchez é o "pior governo em 80 anos" de história da Espanha, incluindo em sua comparação o regime ditatorial de Francisco Franco (1939-1975).

Também o acusou de ser o governo que "pior enfrentou a pandemia de coronavírus".

Sexto país do mundo e primeiro da União Europeia a ultrapassar a barreira do milhão de casos confirmados, a Espanha é um dos países mais afetados pela pandemia de covid-19.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade