Publicidade

Estado de Minas

Joe Biden, no momento da verdade


27/09/2020 14:19

Liderando as pesquisas de voto, desafiando um impopular Donald Trump, Joe Biden tem tudo para sair como vencedor do seu primeiro debate na próxima terça-feira, antes das eleições de 3 de novembro. No entanto, esse evento pode também ser seu pior inimigo.

Aos 77 anos, seu porte e empatia com as pessoas permanecem, mas o velho político não se parece mais com o que era em seu apogeu como vice-presidente de Barack Obama.

Ao ficar de pé, suas pernas agora parecem frágeis. E seu fino cabelo branco está em falta.

Alguns de seus apoiadores temem que Biden, propenso a erros e deslizes, vacile perante os ataques de Trump, o presidente republicano de estilo mais agressivo.

O confinamento por causa da covid-19 privou por meses Biden de explorar sua marca registrada: o contato direto com os eleitores.

Apesar de ter retomado um ritmo de saídas mais frequente desde o final de agosto, sua estrita adesão às regras de distanciamento social diminui sua presença em campo.

E, de acordo com seus detratores, permite que ele faça campanha longe das pessoas e se esquive de perguntas incômodas. Seu rival republicano também reclama que os jornalistas são benevolentes com Biden.

A equipe de campanha de Trump descreve sem rodeios o democrata como um velho senil. E o presidente chegou a exigir que seu rival fizesse um "teste de drogas" antes do debate.

- O filho de Scranton -

É muito provável que em Cleveland, Ohio, Biden insistirá em sua defesa da classe média, apontando o contraste entre sua infância humilde e a do "herdeiro" Trump, que foi criado em um berço de ouro.

Orgulhoso de suas origens, Joseph Robinette Biden Jr. nasceu em 20 de novembro de 1942 em Scranton, uma cidade da classe trabalhadora na Pensilvânia.

Sua vida foi marcada pela tragédia.

"Nunca desaparece", ele costuma dizer sobre a dor que vive desde a morte do seu primeiro filho, Beau Biden, em 2015, que morreu de um câncer cerebral.

Outro grande drama marcou o início de sua longa carreira política: em 1972, um acidente de carro levou sua primeira esposa e filha, enquanto seus dois filhos, Beau e Hunter, ficaram gravemente feridos.

Recém-eleito para o Congresso dos Estados Unidos aos 30 anos, ele foi empossado senador em uma cama de hospital.

Tornando-se advogado e lobista, seu filho mais novo, Hunter Biden, ganhava um salário lucrativo como membro do conselho de uma empresa ucraniana de gás acusada de corrupção na época em que Biden era vice-presidente.

A pressão de Trump em relação à Ucrânia com intuito de investigar o passado do filho de Biden levou ao impeachment do presidente, embora ele tenha sido absolvido.

Diante de republicanos que o retratam como um candidato enfraquecido, Biden pode exibir sua vitória triunfante nas primárias democratas após uma reviravolta espetacular.

O ex-braço direito do primeiro presidente negro dos Estados Unidos teve de suportar três primeiros fracassos antes de obter uma grande maioria na Carolina do Sul, isso graças aos votos dos afro-americanos, muito importantes para qualquer democrata que concorra à Casa Branca.

Biden, visto por muitos como muito velho ou muito centrista, conseguiu o apoio de outros moderados e mais tarde derrotou seu grande rival democrata, Bernie Sanders.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade