Publicidade

Estado de Minas

Ministros do G7 pedem ao setor privado para aliviar dívida de países pobres


25/09/2020 13:13

Os ministros das Finanças do G7 reiteraram, nesta sexta-feira (25), seu apelo aos credores privados para aderirem a um programa de suspensão da dívida para os países mais pobres, muito afetados pela crise da covid-19, em uma iniciativa anunciada pelo G20 em abril.

"A participação do setor privado está ausente, o que limita os possíveis benefícios para muitos países", disseram as nações do G7 em um comunicado conjunto divulgado pelo Tesouro dos Estados Unidos.

Na reunião de abril do Fundo Monetário Internacional (FMI) e do Banco Mundial, o G20 acordou uma suspensão imediata por um ano do pagamento da dívida dos países mais pobres do mundo, especialmente afetados pela pandemia.

Nesta sexta-feira, os ministros das Finanças dos sete países mais ricos do mundo (Alemanha, Canadá, França, Japão, Reino Unido e Estados Unidos) anunciaram que manterão esta Iniciativa de Suspensão da Dívida (DDSI em suas siglas em inglês).

"Reiteramos nosso apelo para que os credores privados implementem o DSSI voluntariamente quando isso for solicitado pelos países mutuários que reúnem as condições necessárias", afirmou.

A iniciativa do G20, que beneficia mais de 70 países pobres, incluindo Honduras, Haiti e Nicarágua, prevê uma suspensão do pagamento de capital e de juros.

Na declaração conjunta, os ministros destacaram que lamentam as medidas tomadas por alguns países para não participar desta iniciativa, chamando suas instituições públicas de credores comerciais.

Além disso, reconheceram que alguns países precisarão de um novo alívio da dívida no futuro.

Neste sentido, fizeram um apelo ao grupo do G20 e aos credores do Clube de Paris para que fiquem de acordo com as condições na reunião de ministros das Finanças do mês que vem.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade