Publicidade

Estado de Minas

Maioria dos demandantes de asilo de Lesbos é instalada em novo acampamento


19/09/2020 11:31

Um novo acampamento improvisado na ilha grega de Lesbos conta agora com 9.000 demandantes de asilo do total de 12.700 migrantes desabrigados, após os incêndios que destruíram o campo de Moria há dez dias - informa o Ministério das Migrações.

Com capacidade para entre 8.000 a 10.000 imigrantes, segundo as autoridades, este novo espaço foi instalado às pressas em um antigo campo de tiro, a três quilômetros do porto de Mitilene, capital da ilha.

Seis jovens afegãos solicitantes de asilo são acusados de atear fogo no local. Quatro deles devem comparecer diante de um juiz de instrução neste sábado (19).

Depois de acampar por muitos dias na estrada que liga Moria a Mitilene, nas ruas, em prédios abandonados, ou em terrenos baldios, os demandantes de asilo expulsos de Moria começaram a entrar no novo acampamentos nos últimos dias, após uma operação policial para "limpar" as estradas.

Muitos deles temem ficar, novamente, presos em condições difíceis como aquelas vividas em Moria. Lá, esperavam meses, ou mesmo anos em alguns casos, para serem transferidos para a Grécia continental.

Uma operação policial na quinta-feira e ameaças de não processamento dos pedidos de asilo levaram milhares deles a ingressar na nova instalação.

O Escritório do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (Acnur) declarou que apoia este novo acampamento como "uma solução provisória", mas se pronunciou contra a perpetuação de um assentamento de emergência.

"As autoridades gregas devem esclarecer" o futuro deste local, escreve a agência da ONU.

Todo requerente de asilo é testado para covid-19 antes de entrar no acampamento. Até agora, foram detectados 214 casos do novo coronavírus, conforme o Ministério grego das Migrações.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade