Publicidade

Estado de Minas

Itália realiza eleições regionais e referendo em meio à covid-19


18/09/2020 12:01

Os italianos irão às urnas no domingo (20) e na segunda-feira (21), apesar do ressurgimento do coronavírus na Europa, para votar um referendo e em eleições regionais com a atenção voltada para Toscana, um bastião histórico de esquerda que a extrema direita de Matteo Salvini espera conquistar.

Inicialmente previstas para o final de março, essas duas votações foram adiadas em várias ocasiões, devido à pandemia. Na Itália, são cerca de 36.000 mortes por covid-19.

O governo decidiu dividir a votação em dois dias para evitar aglomerações.

Segundo alguns cientistas políticos, estas eleições regionais terão um valor menor como teste nacional. Isso se deve ao fato de a saúde ser competência das regiões, o que leva os eleitores a julgarem a gestão da pandemia por parte de suas autoridades locais, e não pelo governo nacional.

Sete regiões - no total de mais de 20 milhões de habitantes - devem eleger seus presidentes. Todos os olhares estão voltados para três lugares, onde uma vitória da direita pode abalar o governo de Giuseppe Conte, formado por uma coalizão entre o Movimento 5 Estrelas (M5S, antissistema) e o Partido Democrata (PD, centro esquerda).

As regiões em questão são Campânia (sudeste), cuja capital é Nápoles e onde o PD é favorito; Apúlia (sudoeste), onde o atual presidente, também do PD, está lado a lado com o candidato da direita; e principalmente Toscana (centro-oeste), bastião da esquerda há mais de meio século e onde as pesquisas não marcam diferenças entre os candidatos de esquerda e de direita.

As outras quatro regiões com eleições são Vale de Aosta (noroeste), Vêneto (nordeste), Ligúria (noroeste) e Marcas (centro-leste).

A coalizão de extrema direita composta pela Liga de Matteo Salvini (extrema direita), pelos Irmãos da Itália (FDI), de Giorgia Meloni (extrema direita), e pela Forza Italia (direita), de Silvio Berlusconi, apresenta-se unida em todas as regiões.

Já a coalizão governamental - PD e M5S - surge dividida em todos os casos, exceto na Ligúria, aonde chegaram a um acordo para um candidato único.

Todo arco político concorda em que os resultados - que serão conhecidos na noite de segunda-feira - não terão influência no destino do governo.

Alguns especialistas consideram que é cedo para realizar essas eleições, em um momento em que os casos de coronavírus aumentam, apesar de, na Itália, os números estarem em torno de 1.500 novos casos diários. É muito abaixo dos registrados hoje na França, Espanha e Reino Unido.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade