Publicidade

Estado de Minas

Israel pede retorno de 2.000 peregrinos judeus bloqueados na fronteira de Belarus


17/09/2020 07:55

Israel pediu, nesta quinta-feira (17), a um grupo de peregrinos judeus hassídicos bloqueados na fronteira com Belarus que volte para casa.

Esse grupo esperava participar de uma manifestação na Ucrânia, mas seus integrantes foram bloqueados na fronteira com Belarus, devido a restrições relacionadas ao novo coronavírus.

"Apesar dos numerosos esforços para ajudar os israelenses a entrar na Ucrânia por Belarus, ou pela Moldávia, recebemos uma resposta negativa final das autoridades ucranianas", escreveu o ministro israelense do Ensino Superior e da Água, Zeev Elkin, no Twitter.

"A Ucrânia anunciou que não permitirá a entrada em seu território através de passagens de fronteira (...) Peço aos nossos cidadãos que retornem para Israel e respeitem as medidas de quarentena na chegada", acrescentou.

Cerca de 2.000 peregrinos judeus estão bloqueados na fronteira com a Ucrânia.

Procedentes principalmente de Israel, mas também da França, Grã-Bretanha e Estados Unidos, esses judeus hassídicos esperavam participar de uma peregrinação a Uman, no centro da Ucrânia. Eles passaram por Belarus, acreditando que conseguiriam contornar as restrições impostas por Kiev diante do ressurgimento de casos de coronavírus em território ucraniano.

Autoridades ucranianas e israelenses pediram aos judeus hassídicos que renunciassem à peregrinação este ano, devido à pandemia.

A maioria dos peregrinos está presa no posto fronteiriço de Novi Yarylovychi, que as autoridades ucranianas "fecharam completamente", garantindo que eles "recebam água e comida".

De acordo com a Cruz Vermelha bielo-russa, porém, eles não têm "recursos suficientes para se sustentar", e uma crise humanitária é temida.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade