Publicidade

Estado de Minas

Comerciantes protestam contra medidas de confinamento na capital da Colômbia


24/08/2020 19:55

Centenas de comerciantes foram às ruas nesta segunda-feira (24) em Bogotá para protestar contra as medidas de confinamento para frear a expansão da pandemia, mas que levaram ao fechamento de um terço dos negócios na capital colombiana.

Bradando os slogans "queremos trabalhar" e "não mais quarentena", os manifestantes marcharam e se concentraram em distintos pontos do centro da cidade, desafiando o confinamento que impera na cidade desde 20 de março.

De acordo com uma pesquisa da Federação Nacional de Comerciantes publicada nesta segunda-feira, 31% dos estabelecimentos formais de Bogotá fecharam suas portas entre abril e junho, o que equivale a cerca de 58.000 comércios, a maioria pequenos.

"Estamos pedindo o fim da quarentena, que nos deixem trabalhar. Nós usamos todas as medidas de segurança exigidas", declarou à AFP Sandra Cerón, trabalhadora afetada pelo confinamento.

A prefeita de Bogotá, Claudia López, optou por um sistema rotativo de quarentenas por zonas desde 13 de julho. O último destes fechamentos está previsto até 30 de agosto.

"Independentemente dos protestos, as decisões serão tomadas com base epidemiológica, com base científica", declarou Néstor García, diretor de convivência e diálogo da Prefeitura.

A cidade de 8 milhões de habitantes é o maior foco de contágios na Colômbia, com 34,8% dos casos confirmados. Mais de 188.000 pessoas contraíram o novo coronavírus em Bogotá, com 4.951 óbitos pela doença.

Em meio à emergência sanitária, o desemprego urbano na Colômbia alcançou 24,9%, enquanto a informalidade atingiu 45%, de acordo com dados oficiais.

Com cerca de 50 milhões de habitantes, a Colômbia é o quarto país mais atingido pela COVID-19 no continente em número de óbitos e contágios.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade