Publicidade

Estado de Minas

Confira os momentos-chave de uma convenção democrata em formato inédito


21/08/2020 18:55

Joe Biden reafirmado após um desempenho muito elogiado, Barack Obama ainda relevante, uma candidata a vice-presidente apresentando seu perfil atípico aos Estados Unidos: em um formato quase totalmente virtual, a convenção democrata permitiu, em quatro dias, unificar o partido para desafiar Donald Trump nas eleições de 3 de novembro.

Este formato inédito devido à pandemia, atraiu milhões de telespectadores para um evento misto que mesclou participações gravadas e apresentações ao vivo.

Confira a seguir cinco momentos-chave do evento, encerrado na quinta-feira:

- Unidos contra Trump -

"Chegou o momento de nós, o povo, nos unirmos", afirmou Biden, de 77 anos, na noite de quinta, após uma convenção na qual os democratas deixaram de lado suas diferenças e apoiaram seu candidato para as presidenciais de 3 de novembro, que querem apresentar como um referendo sobre Trump.

Em sua mensagem, Biden prometeu deixar para trás a divisão e o medo, e afirmou que é possível "superar" uma temporada obscura.

Este ano, os democratas deixaram para trás as tensões entre os partidários de Hillary Clinton e os simpatizantes de Bernie Sanders que ofuscaram a convenção há quatro anos.

Sanders, o senador progressista que foi o último pré-candidato a se retirar da disputa frente a Biden, fez um emotivo apelo, pedindo apoio ao seu antigo rival contra Trump.

- Sem público -

A harmonia orquestrada pelos democratas nesta convenção histórica também se explica porque a falta de público e a organização de um evento gravado reduziram os riscos de imprevistos.

O espaço dado a personalidades do Partido Republicano que pediram votos para Biden, como Colin Powell, poderia ter sido recebida com menos entusiasmo diante de milhares de espectadores.

O evento estava inicialmente previsto para julho no estado do Wisconsin, que é chave para se chegar à Casa Branca, mas foi adiado para agosto e passou a ser um evento quase totalmente virtual, devido ao "agravamento" da crise sanitária.

Joe Biden e sua companheira de chapa, Kamala Harris, aceitaram a indicação ao vivo, mas de Wilmington, local de residência do ex-vice-presidente em Delaware.

Na quinta-feira, os dois saíram para saudar um pequeno grupo de pessoas que acompanhou a convenção, exibida em um telão, dentro de seus carros.

- Kamala Harris se apresenta aos EUA -

A senadora Kamala Harris, que fez história como a primeira mulher negra indicada por um partido majoritário candidata à vice-presidência, começou seu discurso lembrando a longa luta pelos direitos civis nos Estados Unidos.

Harris, ex-procuradora-geral da Califórnia, de 55 anos, rompeu várias barreiras em sua vida para chegar à indicação.

Durante a convenção, milhões de telespectadores puderam assistir a um relato de sua vida, digno do melhor roteiro do "sonho americano", a trajetória inspiradora da filha de um jamaicano e de uma indiana que se conheceram nos Estados Unidos.

Seus pais se divorciaram quando ela ainda era uma menina e ela concentrou seu relato nos ensinamentos de sua mãe, contando que criou a ela e à irmã para que fossem mulheres negras orgulhosas e fortes, sem esquecer sua herança indiana.

A senadora também apresentou sua faceta mais íntima, exibindo com orgulho sua família e os filhos de seu marido, Douglas Emhoff, chamando-a de "Momala".

Em seu discurso político, ela denunciou o "caos permanente" e a "incompetência" e a "crueldade" de Trump.

"Sejamos claros, não há uma vacina para o racismo", afirmou, em um golpe duplo com o qual antecipou que será uma força poderosa em um momento em que a campanha entra na reta final.

- Os Obama continuam encantando -

Em uma demonstração de que sua popularidade não minguou quatro anos depois de deixarem a Casa Branca, tanto o ex-presidente Barack Obama quanto sua esposa, Michelle, ocuparam lugares de destaque na programação.

Michelle Obama encerrou a primeira noite da convenção, na segunda-feira, com uma alegação contra a "divisão" do país durante o governo Trump, a quem qualificou como carente de "empatia", em um discurso sem precedentes para uma ex-primeira-dama.

O ex-presidente selou o ataque, afirmando que esperava que Trump "pudesse mostrar algum interesse em levar o trabalho a sério", mas ele nunca o fez.

Ao contrário, Bill e Hillary Clinton, que durante anos foram figuras inevitáveis da política americana, tiveram um espaço reduzido.

Em seu discurso, Hillary Clinton falou de sua derrota surpreendente para Trump em 2016 para atiçar a mobilização. Bill Clinton cimentou a mensagem de que o presidente mergulhou a Casa Branca no "caos".

- Revezamento geracional -

Embora a convenção tenha feito muitas referências ao passado, o evento deixou um espaço para as novas personalidades democratas.

Pete Buttigieg, ex-prefeito que é veterano de guerra e o primeiro candidato abertamente homossexual com chances de ser nomeado como representante de um partido majoritário, foi o encarregado de dar uma mensagem de esperança.

"Se ocorreram tantas mudanças entre 2010 e 2020, imaginem o que pode trazer 2030", disse o político de 37 anos.

Mais à esquerda, Alexandria Ocasio-Cortez, representante de origem porto-riquenha que, aos 30 anos, é a caçula da Câmara de Representantes, teve 60 segundos para falar, confirmando que nos próximos anos estará na linha de frente da política americana.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade