Publicidade

Estado de Minas

Ex-núncio do Vaticano na França será julgado por agressão sexual em novembro


23/07/2020 12:43

O ex-núncio do Vaticano na França, monsenhor Luigi Ventura, acusado de agressão sexual por pelo menos quatro homens, será julgado em 10 de novembro em Paris - disseram diferentes fontes à AFP nesta quinta-feira (23).

Pela primeira vez na história moderna da diplomacia do Vaticano, a Santa Sé suspendeu a imunidade de um bispo italiano, em julho, autorizando, assim, a abertura de um processo legal.

"Ao reafirmar sua inocência, Sua Excelência confirma sua confiança nas autoridades judiciais francesas, tendo renunciado à imunidade diplomática para os procedimentos do caso, e continua a cooperar com elas", declarou o porta-voz do Vaticano, Matteo Bruni.

"Estará presente na audiência", disse o advogado de Ventura, Bertrand Ollivier, à AFP.

"Esperava esta audiência para defender sua honra e sua inocência", acrescentou o advogado.

"É uma vitória", declarou Jade Dousselin, que representa um dos demandantes.

"A Promotoria está validando o que afirmávamos desde o primeiro momento e conforta as vítimas em sua iniciativa de denunciar", acrescentou Dousselin.

A primeira denúncia contra o monsenhor Luigi Ventura veio à tona em fevereiro de 2019, quando um funcionário da prefeitura de Paris, na faixa dos 30 anos, afirmou que o embaixador do Vaticano o apalpou repetidas vezes durante uma cerimônia na prefeitura local, um mês antes.

Durante o ato, "um agente municipal sofreu de forma reiterada, em três ocasiões, toques sexuais, manuseios nas nádegas bastante ousados, um deles diante de uma testemunha", disse à AFP um membro da prefeitura, quando a denúncia foi apresentada.

O denunciante, que trabalha no serviço encarregado das relações internacionais da prefeitura, informou o ocorrido a seus superiores hierárquicos, que transmitiram suas acusações à Justiça.

Na sequência, outros dois homens relataram eventos idênticos, que teriam ocorrido em 2018. Um quarto homem apresentou uma denúncia contra Ventura logo depois.

Diplomata de carreira do Vaticano, Luigi Ventura, de 75 anos, era representante da Santa Sé na França desde 2009, até sua renúncia. O pedido de saída foi aceito pelo Papa Francisco em dezembro de 2019 por "limite de idade".

Antes, foi padre na nunciatura de Brasil, Bolívia e Reino Unido, sendo, então, nomeado secretário de Estado em Roma.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade