Publicidade

Estado de Minas

Super-ricos do mundo defendem mais impostos por crise da pandemia


postado em 13/07/2020 07:55

Mais de 80 bilionários pediram aos governos de todo mundo, nesta segunda-feira (13), que aumentem impostos "imediata" e "permanentemente" para os mais ricos, com o objetivo de ajudar a financiar a recuperação da economia, após a pandemia.

Em uma carta aberta publicada antes da próxima reunião de ministros das Finanças do G20 e de uma cúpula europeia extraordinária, o grupo, que se autodenomina "Milionários pela Humanidade", disse que os mais ricos "têm um papel crítico a desempenhar para curar o mundo".

Entre os signatários, estão o cofundador de sorvetes Ben e Jerry's Jerry Greenfield, o roteirista britânico Richard Curtis e o cineasta americano Abigail Disney, junto com 80 empreendedores e criadores americanos.

A carta, aberta para assinaturas na Internet, não tinha um único signatário latino-americano nesta segunda-feira de manhã.

"Não, não somos nós que cuidamos dos doentes nas salas de terapia intensiva. Não somos nós que dirigimos as ambulâncias (...) não estamos reabastecendo as prateleiras dos supermercados, ou entregando comida de porta em porta", afirmam.

"Mas temos dinheiro, muito dinheiro. Dinheiro que é desesperadamente necessário agora e continuará sendo necessário nos próximos anos, enquanto nosso mundo se recupera dessa crise", acrescentam.

Esse grupo de super-ricos faz um apelo "aos governos para aumentarem impostos de pessoas como nós. Imediata, substancial e permanentemente".

Alguns países já promovem a introdução de impostos mais altos.

No Reino Unido, o Instituto de Estudos Fiscais alertou que o aumento de impostos seria inevitável para muitos, não apenas para os super-ricos. No início do mês, o primeiro ministro da Espanha, Pedro Sánchez, disse que seu governo poderia aumentar impostos. O mesmo foi anunciado pela Rússia, que disse se concentrar nos rendimentos mais altos.

Durante anos, bilionários como Warren Buffett e Bill Gates pediram mais impostos. Há um ano, um pequeno grupo de bilionários americanos, incluindo o financeiro George Soros, o cofundador do Facebook Chris Hughes e herdeiros dos impérios Hyatt e Disney, também publicou uma carta, apoiando a ideia de um imposto sobre fortunas.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade