Publicidade

Estado de Minas

EUA sanciona capitães iranianos que entregaram gasolina à Venezuela


postado em 24/06/2020 20:31

Os Estados Unidos sancionaram nesta quarta-feira (24) os capitães dos cinco navios que o Irã usou recentemente para entregar gasolina à Venezuela, em uma nova medida de pressão contra o governo de Nicolás Maduro, considerado ilegítimo pelos EUA.

O chefe da diplomacia americana, Mike Pompeo, afirmou que os capitães dos petroleiros iranianos, que nas últimas semanas entregaram 1,5 milhão de barris de gasolina e componentes de petróleo à Venezuela, foram incluídos na lista negra OFAC do Tesouro.

Deste modo, todos os seus ativos sob jurisdição dos EUA estão bloqueados.

"Os marinheiros que fazem negócios com Irã e Venezuela enfrentarão as consequências por parte dos Estados Unidos", disse Pompeo, alertando que suas "carreiras e perspectivas de trabalho" serão prejudicadas.

Os sancionados são os capitães dos navios Clavel, Ali Danaei Kenarsari; Petunia, Mohsen Gohardehi; Fortune, Alireza Rahnavard; Forest, Reza Vaziri; e Faxon, Hamidreza Yahya Zadeh, disse o Tesouro em nota.

"Outra prova do ódio dos falcões de (Donald) Trump contra todos os venezuelanos", reagiu o ministro das Relações Exteriores da Venezuela, Jorge Arreaza, no Twitter, assegurando que tais sanções afetam a população em geral", além de suas posições políticas.

"Medidas punitivas contra esses capitães se somam às sanções dos EUA impostas aos setores de petróleo do Irã e da Venezuela, dois países sobre os quais Washington promove mudanças de regime.

Teerã enviou combustível e derivados a Caracas depois de racionar e aumentar o preço da gasolina em 50% em novembro, afirmou o Tesouro, observando que a decisão gerou uma onda de protestos "brutalmente" reprimidos no Irã com cerca de 1.500 mortos, "incluindo mulheres e crianças".

Pompeo atribuiu à negligência do governo Maduro que a Venezuela, o país com as maiores reservas confirmadas de petróleo do mundo, agora deveria importar gasolina do Irã.

"Os regimes desonestos de Caracas e Teerã estão unidos na repressão de seus cidadãos, na corrupção, enriquecimento próprio e má gestão da riqueza de seus povos", disse ele, destacando que "a única solução para os problemas da Venezuela é uma transição democrática".

O governo de Donald Trump lidera uma campanha internacional para promover a destituição de Maduro, por considerar fraudulenta sua reeleição em 2018. Também o acusa de corrupção, violações dos direitos humanos e pelo desastre econômico do país.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade