Publicidade

Estado de Minas INTERNACIONAL

Fed: empresários relatam declínio da atividade e pessimismo com recuperação


postado em 27/05/2020 15:51

A atividade econômica registrou forte declínio em todas as regiões dos Estados Unidos e de forma acentuada em alguns distritos, em meio às turbulências provocadas pela pandemia de coronavírus. É o que mostra o Livro Bege, sumário do Federal Reserve (Fed, o banco central americano) sobre a condições econômicas do país, divulgado nesta quarta-feira, 27.

"Embora muitos de nossos contatos expressassem esperança de que a atividade geral melhorem à medida que os negócios reabram, a perspectiva permanece altamente incerta e a maioria dos contatos estava pessimista quanto ao possível ritmo de recuperação", pontua o documento.

Segundo o Livro Bege, os gastos dos consumidores continuaram a recuar, com o fechamento obrigatório de várias empresas de varejo, por conta da quarentena. "As quedas foram especialmente severas nos setores de lazer e de hospitalidade, com pouca atividade nos negócios de viagens e turismo", aponta o documento, acrescentando que vendas de automóveis também caíram, embora alguns distritos tenham reportado melhora.

O texto também salienta que, na maior parte das regiões, a atividade industrial despencou, com destaque negativo para os setores automobilístico, aeroespacial e de energia. Este último foi particularmente afetado pelo fechamento de poços de petróleo, de acordo com o texto. No mercado imobiliário, o documento cita significativa contração na venda de novas residências.

De acordo com a pesquisa, vários bancos relataram demanda forte pelo programa de empréstimos a pequenas empresas (PPE, na sigla em inglês). Além disso, as condições de agricultura pioraram, com alguns distritos tendo redução da capacidade de fábricas de processamento de carne devido às medidas de distanciamento social.

Preços

As pressões sobre os preços nos Estados Unidos "variaram", mas ficaram entre constantes e uma queda "modesta", no balanço geral, afirma o Livro Bege, sumário de opiniões do Federal Reserve (Fed, o banco central americano) que embasa as decisões de política monetária. O documento mostra que a demanda fraca pesou sobre os preços, com alguns contatos mencionando descontos em, por exemplo, vestuário, reservas de hotel e viagens de avião.

"Vários distritos também reportaram preços baixos de commodities, incluindo petróleo, aço e várias commodities agrícolas", diz o Livro Bege. Segundo ele, problemas nas cadeias de suprimento e a forte demanda levaram, por outro lado, a altas nos preços de alguns itens, como carne e frutas frescas.

Um dos distritos ouvidos reportou que as companhias enfrentavam custos adicionais com os protocolos de segurança e distanciamento físico para evitar mais casos de coronavírus. Outro distrito mencionou que os custos de equipamento de proteção pessoal haviam aumentado, diante da forte demanda.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade