Publicidade

Estado de Minas

Argélia tem manifestações no final do Ramadã


postado em 25/05/2020 18:55

Grupos de argelinos participaram de protestos em apoio aos detidos do "Hirak", o popular movimento antigovernamental, durante o festival Aid al Fitr, apesar da pandemia de coronavírus e da proibição de protestos, informaram as mídias sociais e a mídia local.

Uma manifestação ocorreu nesta segunda-feira em Kherrata, na wilaya (prefeitura) de Bejaia, em Kabylie, leste de Argel, de acordo com vídeos e fotos postados nas mídias sociais.

"Governo assassino" e "Estados civil" foram gritos entoados pelos manifestantes.

Outra demonstração de solidariedade com os prisioneiros, também transmitida nas redes, ocorreu em Sétif (nordeste) no domingo, primeiro dia do Aid, o feriado muçulmano que marca o fim do mês de jejum do Ramadã.

"Feliz Aíd a todos os presos políticos", pode ser lido em um cartaz exibido em Setif.

Outras marchas semelhantes ocorreram nas cidades de Tizi Ouzou (nordeste) e Boumerdes (leste de Argel), apesar do confinamento e da pandemia de coronavírus, disse o site de informações francófonas All About Algeria (TSA).

Segundo o Comitê Nacional para a Libertação dos Detidos (CNLD), uma associação que apoia prisioneiros, "cerca de 50 prisioneiros de opinião e políticos ainda estão presos pelo governo".

O "Hirak", nascido em fevereiro de 2019 como resultado da insatisfação dos argelinos com a classe política, pede uma mudança no sistema estabelecido desde a independência do país em 1962.

Desde então, convoca manifestações regularmente no país, mas estas foram suspensas em meados de março devido ao coronavírus, que deixa 8.500 casos de contágio e 609 mortes no país.

Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade