Publicidade

Estado de Minas

Austrália estende por três meses proibição para chegada de cruzeiros


postado em 22/05/2020 07:19

A Austrália estendeu, nesta sexta-feira (22), a proibição de chegada para a maioria dos cruzeiros internacionais por um período de três meses, até meados de setembro, sem fazer qualquer menção a uma isenção de viagens para a vizinha Nova Zelândia.

A proibição se aplica a qualquer cruzeiro capaz de transportar mais de 100 passageiros, anunciou a Australian Border Force em um comunicado.

Este é mais recente golpe na multimilionária indústria de cruzeiros, que já enfrenta longas proibições que vão dos Estados Unidos às ilhas Seychelles.

A Austrália anunciou a proibição a cruzeiros internacionais, pela primeira vez, em 27 de março, quando quase 30 navios estavam em suas águas territoriais.

Centenas de australianos que desembarcaram foram posteriormente diagnosticados com COVID-19.

Ex-passageiros representaram cerca de 20 das 101 mortes registradas pela doença no país.

A maioria desses casos de contágio e óbitos estava relacionada com o transatlântico "Ruby Princess", que chegou a Sydney no final de março.

A gestão da situação naquele navio é alvo de uma investigação criminal e civil de alto nível.

A Austrália fechou suas fronteiras para não residentes no final de março e anunciou que os estrangeiros permanecerão excluídos do país no futuro próximo.

O primeiro-ministro Scott Morrison levantou a possibilidade de oferecer uma isenção à proibição para os cidadãos da Nova Zelândia, país que até agora conteve com sucesso o surto de coronavírus.

O anúncio feito nesta sexta-feira pela força de fronteira não mencionou qualquer exceção para cruzeiros que viajam entre os dois países insulares vizinhos.

Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade