Publicidade

Estado de Minas

Justiça suíça rejeita recursos apresentados pelo presidente do PSG em caso de corrupção


postado em 22/04/2020 17:25

A justiça suíça rejeitou três recursos apresentados por Nasser Al Khelaifi, presidente do grupo de televisão beIN Media e do Paris Saint-Germain, acusado em um caso de corrupção relacionado à concessão de direitos televisivos da Copa do Mundo.

A decisão publicada nesta quarta-feira pelo Tribunal Penal Federal da Suíça rejeitou os argumentos de Al Khelaifi contra as acusações de dois promotores federais e uma assistente da promotoria federal.

"O pedido de contestação foi rejeitado", concluiu o órgão judicial correspondente em 24 de março.

Nasser Al Khelaifi havia solicitado a rejeição das acusações dos três membros do Ministério Público Federal (MPC), alegando que "a audiência de 6 de dezembro de 2019 não lhe deu tempo suficiente para abordar todas os pontos que desejava".

O empresário também criticou a promotoria federal "por não ter indicado um perito judicial independente e neutro".

Também considerou que "as provas apresentadas espontaneamente pela defesa não teriam sido consideradas".

A justiça suíça considerou que as partes "tiveram a oportunidade de se expressar sobre os fatos e as acusações feitas".

O caso envolvendo Al Khelaifi refere-se à concessão de "direitos de mídia de diferentes edições da Copa do Mundo e da Copa das Confederações".

O dirigente catari chegou a um acordo amigável com a Fifa, que mais tarde retirou a denúncia de corrupção contra ele.

O ex-número 2 da Fifa, Jérôme Valcke, foi acusado no mesmo caso de "corrupção passiva, gestão desleal múltipla e falsificação de documentos".

Al Khelaifi e um terceira pessoa, atuante na área do direito desportivo, mas cujo nome não foi revelado pela justiça suíça, são acusados de "instigar a gestão desleal qualificada cometida" por Valcke, que ocupou o cargo do secretário-geral da Fifa. Essa terceira pessoa é acusada também de "corrupção ativa".

Segundo o MP, Valcke usou sua influência entre 2013 e 2015 para orientar "os processos de concessão de direitos de mídia para a Itália e a Grécia em diferentes Copas do Mundo e Copas das Confederações da Fifa no período de 2018 a 2030".


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade