Publicidade

Estado de Minas

Mudança climática não pode cair no esquecimento, alerta ONU


postado em 22/04/2020 12:49

A ONU pediu aos países-membros da organização, nesta quarta-feira (22), que lutem contra o aquecimento global com a "mesma determinação" que têm agora contra a pandemia da COVID-19.

Nesse sentido, a organização lembrou que as ondas de calor que assolam o planeta desde 2015 são um perigo meteorológico ainda mais letal.

"Precisamos frear a mudança climática tanto quanto a pandemia", advertiu o secretário-geral da Organização Meteorológica Mundial (OMM), Petteri Taalas, por ocasião do cinquentenário do Dia da Terra.

"De fato, a COVID-19 provocou uma grave crise sanitária e econômica em nível mundial, mas, se não lutarmos contra a mudança climática, o bem-estar humano, os ecossistemas e as economias podem se ver ameaçados durante séculos", destacou Taalas, em um comunicado.

Desde seu surgimento na China em dezembro passado, a pandemia do coronavírus deixou mais de 175.000 mortos em todo mundo e paralisou setores inteiros da economia global.

Esta situação deve causar, ao longo deste ano, "uma redução de 6% das emissões dos gases causadores do efeito estufa", principal fonte do aquecimento global, disse Taalas, em entrevista coletiva.

Para a OMM, esta redução será apenas "temporária", porém, já que esta situação não substituirá as "ações duradouras a favor do clima".

A ONU está ainda mais preocupada, porque "as crises econômicas precedentes foram, com frequência, seguidas de uma recuperação acompanhadas de um crescimento das emissões de carbono muito maior".

É preciso, insiste ele, que se estabeleçam programas que promovam um "crescimento mais verde", após a pandemia.

"Devemos ter a mesma determinação e unidade na nossa luta contra a mudança climática que nesta [luta] contra a COVID-19", repetiu Taalas.

"Temos que agir de maneira coletiva, no interesse da saúde e da qualidade de vida da humanidade, não apenas nas semanas e meses próximos, mas também para as próximas gerações", completou.

Os recordes de calor, a acidificação dos oceanos, o aumento do nível do mar e o degelo das calotas polares revelam que houve uma aceleração da mudança climática nos últimos cinco anos, como aponta o informe da OMM sobre o clima mundial para o período 2015-2019.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade