Publicidade

Estado de Minas

Espanha registra 435 mortes por coronavírus em 24h, segundo dia de leve alta


postado em 22/04/2020 07:49

O Ministério da Saúde da Espanha anunciou nesta quarta-feira 435 mortes por coronavírus nas últimas 24 horas, cinco a mais do que na terça (21), o que eleva o total de vítimas fatais no país para 21.717.

O terceiro país com mais mortes por coronavírus do mundo iniciou a semana com o anúncio de 399 mortes por coronavírus na segunda-feira.

Pelo quarto dia consecutivo, o balanço permanece abaixo de 500 mortes em 24 horas.

O país também registrou mais 4.200 novos casos nesta quarta-feira, o que eleva o balanço global para 208.389 infectados desde o início da epidemia, de acordo com o Ministério da Saúde.

Entre os casos positivos há um elevado número de profissionais da saúde, 33.153.

O governo anunciou mais 3.400 pacientes curados, o que aumenta a quantidade de pessoas que receberam alta para quase 86.000 desde o início da epidemia.

A Espanha está na sexta semana de confinamento, que deve prosseguir até 9 de maio, após a aguardada aprovação nesta quarta-feira, por parte da Câmara Baixa do Parlamento, da nova ampliação proposta pelo governo.

O primeiro-ministro Pedro Sánchez pediu apoio para a prorrogação e anunciou que estabelece para "a segunda metade de maio" a "desescalada" das medidas estritas de confinamento vigentes desde 14 de março.

A partir do próximo domingo (26), o governo permitirá, no entanto, que as crianças possam sair de casa para breves passeios, em sintonia com o que acontece em outros países europeus. Essa foi uma demanda que aumentou nos últimos dias entre os espanhóis.

Sánchez advertiu que "a desescalada será lenta e gradual, justamente porque deve ser segura".

A prorrogação deve ser aprovada, já que o conservador Partido Popular, principal força da oposição, anunciou apoio à medida.

Como parte do dispositivo de saída lenta das restrições à mobilidade, o Ministério da Saúde anunciou que está finalizando a realização de um estudo de soroprevalência.

O estudo consistirá em organizar testes de 60.000 pessoas representativas ao longo de todo país, com o objetivo de "calcular o percentual da população espanhola que desenvolveu anticorpos ante o novo coronavírus", afirmou o Ministério em um comunicado.

A informação obtida permitirá saber quantas pessoas estão imunizadas por sua exposição ao vírus e "será de enorme relevância para a tomada de decisões de saúde pública no conjunto do Estado", destacou o Ministério, sem informar a data do início do estudo.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade