Publicidade

Estado de Minas INTERNACIONAL

Nos EUA, Mnuchin e democratas elaboram acordo para ajudar pequenas empresas


postado em 19/04/2020 16:00

Líderes democratas e o secretário do Tesouro nos Estados Unidos, Steven Mnuchin, afirmaram neste domingo que estão perto de fechar um acordo para retomar um programa popular que pode ajudar pequenas empresas durante a crise do coronavírus. A expectativa é de que o acordo seja concluído a tempo para que o Senado avalie amanhã à tarde. O programa representa mais um dos esforços do governo norte-americano para lidar com as consequências da doença.

"Espero que possamos chegar a um acordo que o Senado possa aprovar amanhã e a Câmara aprove na terça-feira", disse Mnuchin em entrevista à CNN. "Estamos tendo muitos progressos", acrescentou.

Os detalhes da proposta ainda estão sendo elaborados, mas fontes familiarizadas com as negociações apontam que o acordo deve destinar US$ 310 bilhões adicionais para auxílio a pequenas empresas. O valor deve incluir US$ 60 bilhões que os democratas queriam reservar para empresas que precisam de empréstimos de bancos. Outra fonte apontou que há possibilidade de US$ 60 bilhões serem destinados para o Programa de Empréstimos para Desastres Econômicos. Administrado pela Small Business Administration, o programa costumava fornecer rápidas doações de até US$ 10 mil, mas desde que houve um aumento considerável na demanda, as doações estão sendo feitas com atrasos. Mnuchin detalhou apenas US$ 75 bilhões para hospitais e US$ 25 bilhões para expandir os testes de coronavírus no país, tendo em vista a pressão do presidente Donald Trump para reabrir a economia.

Mnuchin afirmou que Trump, o líder da maioria no Senado Mitch McConnell (R., Kentucky) e o líder da minoria da Câmara Kevin McCarthy (R., Califórnia) estavam "a bordo com o mesmo plano". Há relatos de que o acordo seria inicialmente apoiado por republicanos e democratas, mas uma discordância sobre os termos teria separado os grupos. Enquanto os democratas queriam aumentar a assistência alimentar, a hospitais e aos Estados, os republicanos queriam manter a medida focada apenas nas pequenas empresas, deixando as outras medidas para outras legislações.

No mês passado, como parte do estímulo de US$ 2 trilhões à economia, o Congresso disponibilizou US$ 350 bilhões para o Programa de Proteção ao Pagamento, mas o dinheiro se esgotou na semana passada. A proposta era ajudar empresas a cobrir a folha de pagamento e outras despesas essenciais por cerca de dois meses.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade