Publicidade

Estado de Minas

Espanha registra menor número de mortes em 24 horas em quatro semanas


postado em 19/04/2020 09:55

A Espanha registrou neste domingo o menor número de mortes em um dia por coronavírus em quase um mês, um sinal de esperança de acordo com as autoridades de saúde, quando o país entra na sexta semana de confinamento da população.

Terceiro país do mundo com o maior número de vítimas fatais, atrás apenas dos Estados Unidos e da Itália, a Espanha anunciou neste domingo 410 vítimas fatais em 24 horas, uma queda considerável na comparação com as 565 mortes registradas no sábado.

No total, a Espanha registra 20.453 vítimas fatais da COVID-19, segundo o ministério da Saúde.

"Hoje aconteceu uma queda importante no número de falecidos, esta é a primeira vez que baixamos dos 500 desde o início do crescimento do número de mortos", afirmou Fernando Simón, diretor del Centro de Emergências Sanitárias, vinculado ao ministério.

O balanço deste domingo é o menor desde 22 de março, dia em que o país anunciou 394 mortes.

"É um dado que dá esperança, mas temos que ter muito cuidado porque é fim de semana, quando acontecem atrasos na notificação de casos", declarou Simón.

Os dados "seguem a tendência de queda que estamos observando há algum tempo, o que indica claramente que a transmissão da doença foi substancialmente reduzida e estamos no caminho certo, graças ao esforço de todos", disse Simon.

Ele destacou que "pouco a pouco as distorções observadas nos balanços dos últimos dias estão sendo corrigidas", depois que o ministério da Saúde modificou a maneira de contar os casos para incluir também os testes sorológicos que detectam se uma pessoa superou a doença depois de ter ficado assintomática.

O balanço oficial é muito criticado por algumas administrações regionais, que alegam que milhares de pessoas podem ter falecido em consequência do coronavírus sem ter acesso a exames.

Tanto em Madri como na Catalunha, as autoridades regionais afirmam que o balanço superaria em milhares de mortes os números oficiais do ministério da Saúde, que contabiliza 7.239 e 3.933 óbitos oficiais nestas regiões respectivamente.

No balanço divulgado neste domingo, o número de casos confirmados de COVID-19 no país subiu para 195.944, no momento em que o governo amplia a realização de testes entre a população.

Além disso, o número de pessoas curadas também registrou alta, a 77.357, quase 40% do total de casos notificados.

As autoridades de saúde destacaram que que o pico dos contágios da epidemia ficou para trás, depois que o país registrou 950 mortes em apenas um dia em 2 de abril.

Apesar da desaceleração, o governo do primeiro-ministro Pedro Sánchez solicitará na próxima quarta-feira ao Parlamento a prorrogação do confinamento dos 47 milhões de espanhóis até o dia 9 de maio, depois de alertar no sábado que os avanços no combate ao novo coronavírus "ainda são insuficientes".

Mas o governo já anunciou uma leve flexibilização a partir de 27 de abril, para permitir breves saídas das crianças, que permanecem confinadas em suas casas, assim como seus pais, desde 14 de março.

O Executivo já ressaltou que o confinamento, que permite apenas que as pessoas deixem suas casas para trabalhar (caso não possam atuar em 'home office') ou para comprar alimentos e remédios, será suspenso de forma paulatina e "cautelosa".


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade