Publicidade

Estado de Minas

COVID-19 e as diferentes formas de confinamento das crianças na Europa


postado em 15/04/2020 14:07

Ao contrário da Espanha, onde as crianças não podem sair de casa, outros países da Europa dão certa liberdade aos menores para respirarem em meio à pandemia, embora sejam um vetor privilegiado de transmissão do novo coronavírus.

A seguir, são apresentados os diferentes tipos de medidas aplicadas às crianças, das mais generosas às mais rigorosas.

Na Islândia, elas não estão confinadas, e as escolas primárias estão abertas. Instituições de ensino médio e universidades vão reabrir em 4 de maio.

As escolas também continuam funcionando na Suécia, onde são aplicadas medidas de distanciamento social, enquanto as escolas secundárias e universidades não têm data para retomar as atividades.

No restante da Europa, os locais de ensino estão fechados. E somente em alguns países foi estabelecida uma data para reabrir, como na Dinamarca, onde escolas primárias e creches começam a receber crianças a partir desta quarta-feira (15).

A Noruega vai reabrir suas creches em 20 de abril, e uma parte de suas escolas, nesta sexta, dia 17.

Luxemburgo estabeleceu a data de 4 de maio para abrir tanto creches quanto escolas. A Grécia planeja permitir o retorno dos estudantes em 10 de maio, e a Estônia, no dia 15 do mesmo mês. França fará isso, progressivamente, a partir de 11 de maio.

Na ausência de contato com seus colegas de classe, as crianças em muitos países podem passear, ou se exercitar, pelo menos em família. Mas as restrições variam em função da idade.

Os países nórdicos, os mais liberais, estabelecem um número máximo para reuniões, tanto de adultos quanto de menores: não mais que dez pessoas na Finlândia e na Dinamarca; cinco ou menos, na Noruega.

Na Polônia ou na Bósnia, os menores de 18 anos podem sair apenas se estiverem acompanhados. Na Macedônia do Norte, têm autorização para estarem na rua somente entre 13h e 15h. Na Sérvia, o toque de recolher entra em vigor a partir das 17h nos dias úteis, e à meia-noite, nos fins de semana. Em Montenegro, os menores de 12 anos têm de sair acompanhados.

País europeu onde a COVID-19 deixou mais mortos, a Itália permite que saiam acompanhados com um dos dois pais. Já a França exige uma declaração juramentada, assinada pelos pais, no caso dos menores.

A Espanha, o país mais rígido, mantém o confinamento para todas as crianças, que sequer desfrutam das únicas exceções para os adultos: sair para trabalhar, se não puderem ficar em casa; comprar comida; ou passear rapidamente com o cachorro.

Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade