Publicidade

Estado de Minas

Papa implora 'misericórdia pela Humanidade' por coronavírus

#RezemosJunos: Vaticano convida cristãos a orarem juntos para os doentes, profissionais de saúde e todos os que ajudam no combate ao COVID-19


postado em 25/03/2020 12:25 / atualizado em 25/03/2020 13:34

A #RezemosJuntos já está sendo divulgada nas redes sociais do Vaticano(foto: Reprodução Redes Sociais do Vaticano)
A #RezemosJuntos já está sendo divulgada nas redes sociais do Vaticano (foto: Reprodução Redes Sociais do Vaticano)

O papa Francisco participou nesta quarta-feira (25/03) de uma oração ecumênica global para "implorar misericórdia pela Humanidade, duramente atingida pela pandemia de coronavírus".


"Hoje nos reunimos, todos os cristãos do mundo, para rezar o 'Pai Nosso', a oração que Jesus nos ensinou", disse ele, falando ao vivo em vídeo de sua biblioteca no Palácio Apostólico do Vaticano.


"Neste momento, queremos implorar misericórdia pela Humanidade duramente atingida pela pandemia de coronavírus. E fazemos isso juntos, cristãos de todas as Igrejas e Comunidades, de todas as idades, idiomas e nações", expressou o papa argentino.


"Oremos pelos doentes e suas famílias; pelos profissionais da saúde e por aqueles que os ajudam; pelas autoridades, pela forças de aplicação da lei e voluntários; pelos ministros de nossas comunidades", acrescentou o pontífice, que então orou o Pai Nosso.

O Vaticano divulgou a hashtag #RezemosJuntos como convite aos cristãos para participarem das próximas transmissões ao vivo do papa. O próximo encontro será na sexta-feira (27/03) às 14 horas (horário de Brasília) no site oficial do Vaticano. 


Dioceses de todo o mundo se mobilizaram para convidar os fiéis à oração.


O bispo de Canterbury, Justin Welby, chefe dos anglicanos, juntou-se à oração ecumênica do papa em sua conta no Twitter. A Igreja Ortodoxa e também as organizações da Igreja Evangélica responderam ao convite.


O líder de 1,3 bilhão de católicos do mundo presidirá uma oração na sexta-feira na agora vazia Praça de São Pedro, seguida por uma bênção excepcional "Urbi e Orbi" (para a cidade e o mundo).


O papa menciona a pandemia de coronavírus todas as manhãs antes de celebrar uma missa geralmente privada, mas que agora é transmitida ao vivo a partir da pequena capela de sua residência de Santa Marta, no Vaticano.


"Penso com gratidão no silencioso testemunho de tantas pessoas que, de várias maneiras, se dedicam ao serviço dos doentes, dos idosos, dos que estão sozinhos e dos mais necessitados", disse ele em sua biblioteca por ocasião da audiência semanal tradicional, que não ocorre mais na Praça de São Pedro com dezenas de milhares de fiéis e turistas.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade