Publicidade

Estado de Minas

Pré-candidatos democratas à Casa Branca retomam campanha após debate acirrado


postado em 20/02/2020 18:55

Os pré-candidatos democratas à presidência retomaram suas campanhas nesta quinta-feira após um acalorado debate transmitido pela televisão, no qual o bilionário Michael Bloomberg, um recém-chegado à corrida pela indicação do partido por seu bom posicionamento nas pesquisas, foi recebido de forma hostil por seus adversários.

Após os golpes de quarta-feira no debate de Las Vegas, o mais acirrado até agora nesta campanha, a disputa para para definir quem desafiará a reeleição do presidente Donald Trump em novembro continua em Nevada, onde será realizada no sábado a terceira etapa para escolha do candidato final.

"O verdadeiro vencedor do debate na noite passada foi Donald Trump. Porque estou preocupado que possamos indicar alguém que não pode vencer em novembro", disse Bloomberg em Salt Lake City na quinta-feira.

"E se escolhermos um candidato que atende a uma base pequena, como o senador Sanders, será um erro fatal", acrescentou o ex-prefeito de Nova York.

Bernie Sanders, que se define como "socialista democrático", venceu a primária de New Hampshire, ficou em segundo lugar por uma margem estreita em Iowa e lidera com boa vantagem na intenção de votos entre os democratas, com 32% de apoio, de acordo com uma pesquisa do Washington Post-ABC News publicada na quarta-feira.

Oito pré-candidatos competem estado por estado pela indicação em julho, durante a convenção nacional democrata.

Mas a Bloomberg, que entrou na disputa há apenas 10 semanas e optou por ter seu nome entre os pré-candidatos nas pesquisas de opinião apenas na "Super Terça-feira" de 3 de março, quando 14 estados votam e um terço da maioria dos delegados (1.991) são definidos, agitou a interna partidária. E após investir em publicidade mais de 400 milhões de dólares, aparece em terceiro lugar nas pesquisas em todo o país.

No alvo de todos concorrentes, Bloomberg também protagonizou nesta quinta as postagens ácidas no Twitter de Trump, bilionário, nova-iorquino e septuagenário como ele.

"O pior debate da história!", escreveu o presidente, criticando o desempenho de "Mini", apelido dado pelo republicano a Bloomberg por sua estatura.

- A "implosão" de Bloomberg -

Mas Bloomberg, cuja fortuna de cerca de 60 bilhões de dólares é a nona do mundo em 2019 segundo a Forbes, foi atacado por todos.

De Sanders a Joe Biden, ex-vice-presidente de Barack Obama que é o segundo nas pesquisas em todo o país, através da senadora Elizabeth Warren, que é a quarta, e os dois centristas que a seguem: o ex-prefeito de South Bend, Indiana, Pete Buttigieg e a senadora por Minnesota Amy Klobuchar.

Sanders questionou sua vasta fortuna em tempos de "grotesca" desigualdade no país e, como Biden, o criticou por um programa de vigilância policial durante seu mandato em Nova York, pelo qual foi acusado de discriminar negros e latinos.

Warren o comparou a Trump e lembrou que certa vez se referiu às mulheres como "gordas" e "lésbicas com cara de cavalo".

"Os democratas correm um grande risco de substituir apenas um bilionário arrogante por outro", alertou.

Buttigieg destacou que Bloomberg estava tentando "comprar" o Partido Democrata, enquanto Klobuchar perguntou se depois de Trump era necessário ter alguém mais rico na Casa Branca.

Por sua parte, Bloomberg mirou contra Sanders em particular, alertando sobre os riscos de mudar o "capitalismo" para o "comunismo", algo que "simplesmente não deu certo".

Mas a atitude defensiva do magnata, especialmente diante dos ataques de Warren, o deixou em desvantagem, segundo analistas.

Warren, que precisa fazer decolar sua campanha, sem dúvida se consolidou como uma guerreira, enquanto Biden continuou sem se destacar apesar de algumas tímidas tentativas, disseram.

Para David Axelrod, estrategista-chefe das duas campanhas presidenciais de Obama, a "implosão" de Bloomberg é uma boa notícia para Sanders, embora o sólido desempenho de Warren confirme que ela permanece na disputa.

O debate acalorado em Las Vegas também revelou uma luta central entre Buttigieg, que venceu a em Iowa e que é o mais jovem dos candidatos, e Klobuchar, que teve uma excelente votação em New Hampshire após destacarem-se no debate anterior.

"Você está tentando dizer que eu sou burra? Você está brincando comigo, Pete?", disse a senadora ao ex-prefeito quando destacou que ela não soube dizer o nome do presidente do México numa entrevista à uma emissora mexicana na sexta-feira passada.

"Eu disse que cometi um erro. Às vezes as pessoas esquecem nomes", continuou Klobuchar, visivelmente chateada.


Publicidade